Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 2 de junho de 2008

O Dia da Catarina

Raimundo tinha uma incontrolável atração pelas mulheres.
Catarina, a esposa, cada vez que lhe descobria um novo caso, brigava e ameaçava:
- Um dia você ainda vai se dar mal com essa sem-vergonhice e nesse dia vou dar muita risada! Vai ser o meu dia!
Mas acabava perdoando porque afinal de contas ele era um bom pai, os filhos o adoravam e ela também lhe reconhecia muitas qualidades, e o amava apesar dos pesares.
 
Raimundo estava muito entusiasmado com a vizinha do fundo, a linda Soraia, cujo marido viajava muito a negócios e cujas ausências ele aproveitava para encontrar-se com ela.
O grande quintal de sua casa, cheio de árvores frutíferas, terminava no muro baixo que o separava do quintal dela.
Pular o muro não era problema, mas, antes disso, ele precisava certificar-se de que o marido não estava em casa, e, para tanto, subia em uma árvore perto do muro e espiava dentro da casa dela.
 
E, lá estava ele, certa noite, no seu posto de observação, ajeitando-se para enxergar de todos os ângulos, quando, de repente, o galho partiu-se e ele despencou... Do lado de lá, a poucos passos da porta da cozinha da casa dela.
 
Atordoado e dolorido ele toma consciência do ridículo da situação. Estava ali, estatelado no chão, sem conseguir levantar-se, a bermuda rasgada, o nariz sangrando e, a sua frente, a bela Soraia e o outro, ou melhor, o “um” porque, no caso, o “outro” era ele...
O “um” ajudou-o a levantar-se, perguntando preocupado:
- Você está machucado? Quer que o leve ao médico? Que chame alguém?
Ele queria morrer naquela hora para fugir de tamanho vexame!
Ainda confuso, extremamente desapontado, resolveu dar a explicação que ninguém tinha pedido, o que ele estava fazendo em cima da árvore àquelas horas da noite.
Eu vi uma mexerica madurinha lá bem em cima e subi para apanhar...
O “um” soltou uma gargalhada:
Uma mexerica? Mas esta é uma goiabeira!
Comentários

Os contos da Maith

Maith

Maith

Escritora amadora, apelidada carinhosamente de bisavó blogueira. Vive em Sorocaba.

Arquivo

30 de abril de 2012

Um rosto barbado

23 de abril de 2012

O ovo da Páscoa

16 de abril de 2012

Pode me chamar de Judas

9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

2 de abril de 2012

Flores da minha vida