Colunistas

Publicado: Sábado, 1 de abril de 2017

O Ateu Prático

Crédito: Internet O Ateu Prático
Há muito ateu gente boa. Há ateu pensando que é ateu, mas na verdade não é.

Convencionamos chamar "ateu" quem diz não acreditar em Deus ou em deuses nenhuns, em realidades sobrenaturais não detectadas pelos sentidos ou qualquer sistema religioso. O ateu é, antes de mais, um cético. Alguém que, ao contrário da maioria das pessoas, não acredita nem vendo. Crê apenas no que é tangível, refutando qualquer experiência mística que se lhe possa apresentar.

Poucos vivem o ateísmo convictamente, sendo o que podemos chamar de "ateus autênticos". Em escala nacional ou global, o número de ateus não chega a dois dígitos da  porcentagem. No mundo são cerca de 4% (Enciclopédia Britânica, 1995). No Brasil, não passam de 2% (IBOPE, 2015). Quando a grande mídia afirmar que os ateus estão crescendo, é mentira. Qualquer pessoa pode verificar tal realidade facilmente, questionando os que fazem parte do seu cotidiano. Quantos são ateus convictos? Pouquíssimos! Só há menos ateus no mundo que feministas, por enquanto.

Grande número de pessoas "acredita em Deus" de modo bastante leviano. Imaginam o Criador habitando o céu mas não fazem uma real conexão com Ele. Mesmo "acreditando", não aderem a nenhuma religião, não seguem nenhum mandamento, nem se preocupam com a vida após a morte ou com a salvação eterna. Para essas pessoas Deus até existe, mas isso não influencia em absolutamente nada o modo como vivem, pensam e agem. Esses nós o chamamos de "ateus práticos".

Não se trata de classificar os ateus pejorativamente. Crer ou não em Deus não é um imperativo para o bom caráter de alguém. Assim como há, infelizmente, pessoas ditas "religiosas" e contraditoriamente de péssimo caráter, há também muitos ateus cheios de qualidades, bons valores e boa vontade para com as situações da vida. Não creio que os ateus práticos desacreditam de Deus propositalmente. Ao contrário do ateu convicto, o ateu prático sequer pensa nesses assuntos transcendentais.

É relativamente fácil um ateu prático converter-se, porque lá no profundo do seu ser não existe uma má vontade contra Deus. Basta ter uma experiência mística que se abre para a espiritualidade e acaba aderindo a alguma religião.

O ateu prático torna-se um devoto fiel quando, no tempo de Deus, descobre a realidade desse Criador que deseja participar, afetiva e efetivamente, de todas as etapas da sua vida.

Tenhamos muita paciência, muita caridade e muitos momentos de oração em favor dos nossos ateus práticos.

Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo