Colunistas

Publicado: Sábado, 8 de julho de 2017

O amor, na plenitude

14o. DOMINGO DO TEMPO COMUM

9.07.2017 – Liturgia: Ano “A” de Mateus

Evangelho (Mt. 11, 25-30)

 

“”    Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer:

“Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos.

Sim, Pai, porque foi do teu agrado.

Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso.

Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso.

Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.    “”

 

Cada fiel, leitores todos, quem quer que seja, podem sentir a seu modo peculiar e pessoal o significado desta mensagem de Jesus.

É a própria expressão do amor, do carinho, da afeição, da segurança, enfim do desvelo total de que o Mestre se serve no trato para com os seus seguidores.  

Uma forma de amar específica, que não esconde a possibilidade de percalços da vida, mas que assegura – isto sim ! – que a despeito de qualquer vicissitude nos descaminhos, Ele, Jesus, ali estará. E se fará presente de molde a mesmo quando não mitigue a dor física propriamente dita, assegura força e resignação para que filhos dele, Jesus, sobrevivam.

Vida, aqui, seja entendida também como a plenitude e direção dos desígnios divinos, inclusive ao se tratar do momento da acolhida dele, de Jesus, para o convívio pleno dele, na bem-aventurança final e permanente.

O Deus, porque todo poderoso e eterno, a garantir descanso no infortúnio do sobrepeso, a ser transformado então em sossego e descanso.

Aceitas e compreendidas, na plenitude e com aprofundamento nessa meditação, as palavras de Jesus culminam com assegurar a paz.

A paz ao alcance de todos.

A paz do amor para quem aceite ser amado e ame igualmente.

Paz de Jesus: nuances terrenas da mesma glorificação à espera dos fiéis nos céus.

                                                                                                   

                                                                                                              João Paulo

                                                                      

 

 

 

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio