Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 16 de abril de 2009

No Cenáculo

Segundo Domingo da Páscoa.
 
Apenas a título de esclarecimento, é bom que se note que mesmo que caiba a Marcos a titularidade como evangelista para o “Ano B”, por várias vezes ocorrem textos do apóstolo João, dado que lhe sói pormenorizar os fatos e os enriquece com detalhes.
 
Assim, ele comparece hoje outra vez, com o mesmo capítulo 9 da semana anterior, agora nos versículos de 19 ao 31.
 
““ Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse:
“A paz esteja convosco”.
Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
Novamente Jesus disse:
“A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”.
E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse:
“Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não perdoardes, eles lhes serão retidos”.
Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio.
Os outros discípulos contaram-lhe depois:
“Vimos o Senhor!”
Mas Tomé disse-lhes:
“Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.
Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles.
Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse:
“A paz esteja convosco”.
Depois disse a Tomé:
“Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”.
Tomé respondeu:
“Meu Senhor e meu Deus!”
Jesus lhe disse:
“Acreditaste porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto”.
Jesus realizou muitos outros sinais, diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome. ””
 
As reflexões trazidas a este espaço – como se esclareceu desde o início – até pela simplicidade de como são expostas e na ousadia de prestar colaboração por parte de alguém que sequer estudou teologia, buscam oferecer simplesmente possíveis caminhos para aprofundar eventual meditação para quem o deseje.
 
Seriam meras pistas e assim também a se explicar venham elaboradas num contexto de brevidade.
 
Esta explicação procede, até porque o presente evangelho, o das aparições de Jesus no Cenáculo, dão azo a uma longa explanação e fica mesmo difícil selecionar o que de mais preciso haja no seu conteúdo.
 
Essencial, oportuno e notável, por quantos ângulos seja visto.
  
A começar de que por três vezes o texto relembra a saudação principal de Jesus – a paz esteja com vocês.
 
Todos se empenham em procurar felicidade e paz nos lugares menos indicados de se encontrar tais tesouros.
 
Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

20 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio