Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Natal Sem Sentido (Para Alguns no Mundo de Hoje)

Crédito: Banco de Imagens Natal Sem Sentido (Para Alguns no Mundo de Hoje)
Um Natal bem vivido é um Natal rezado, meditado e experenciado, onde cada pessoa se aproxima mais de Deus e do verdadeiro mistério do nascimento de seu Filho.

Sempre que chega esta época do ano vejo muitas pessoas manifestando certo incômodo. Para essas o clima natalino traz algumas sensações estranhas, desperta lembranças até então sufocadas ou faz vir à tona idéias enterradas no inconsciente durante a maior parte do tempo.

O caráter festivo e auspicioso do Natal não consegue atingir boa parte das mentes e dos corações. Há pessoas que não se deixam libertar realmente da carga negativa acumulada ao longo dos meses. Preferem lamentar o copo meio vazio do que agradecer pelo meio copo cheio. Travam internamente uma batalha nessa tentativa de serem felizes e, muitas vezes frustrados, acabam desistindo.

Mergulham, então, em compensações que o mundo oferece. O verdadeiro espírito natalino é trancado em algum canto. Gasta-se o tempo no consumismo desenfreado, na troca vaidosa de presentes, nas gulodices das confraternizações e outras distrações, à espera de que isso a que chamam Natal passe logo e de uma vez, até o ano que vem.

Não é que o Natal tenha perdido o sentido: muitas pessoas é que não aceitam, não entendem, não acolhem e não vivem o real espírito do Natal. 

Não aceitam que, há mais de dois mil anos, o mundo inteiro pára para celebrar o nascimento de um homem que mudou para melhor a história humana e que, para os cristãos, é um verdadeiro Deus: Jesus, o Cristo, nascido em Belém da Judéia.

Não entendem que o Natal só tem sentido se celebrado com esse caráter espiritual e religioso. Um Natal bem vivido é um Natal rezado, meditado e experenciado, onde cada pessoa se aproxima mais de Deus e do verdadeiro mistério do nascimento de seu Filho.

Não acolhem a proposta do Evangelho para comemorar na prática o nascimento de Jesus através de gestos concretos de Amor-Caridade: levando comida e água para quem não tem; doando roupas e agasalhos aos que estão no relento; visitando doentes nos asilos e hospitais; levando esperança de conversão e mudança de vida aos encarcerados nos presídios ou para os que se prendem a si mesmos em prisões interiores alcançáveis somente pela Misericórdia Divina.

Enfim, se muitas pessoas acham esse período natalino "estranho" e "incômodo", é porque não vivem um verdadeiro Natal. Podem e vão elaborar mil argumentos, dar inúmeras desculpas, mas a verdade é esta: Natal sem Jesus não é Natal e nem todos os bens materiais, nem todos os comes e bebes do mundo, podem mudar essa realidade.

Desejo a todos um Natal com sentido. Desejo a todos um Natal que celebre de verdade o nascimento de Jesus. Desejo a todas as Famílias um Natal que nos aproxime cada vez mais de Deus. Desejo a todos um Natal que nos leve a praticar mais e melhor o Amor-Caridade que nasceu no meio de nós na figura de um frágil Menino, numa gruta afastada de uma vilazinha perdida nas areias do Oriente Médio.

Um Santo e Feliz Natal! Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo