Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Não te faças de bom, se bom não és

REFLEXÃO DOMINICAL – 3.2.2019

8º. do Tempo Comum – Liturgia do Ano C

Evangelho (Lucas, 6, 39-45

 

........................................................................

 

“”  Naquele tempo, , Jesus contou uma parábola aos discípulos:

“ Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois num buraco?

Um discípulo não é maior do que o mestre; todo discípulo bem formado será como o mestre. Por que vês tu o cisco no olho do teu irmão e não percebes a trave que está no teu próprio olho?

Como podes dizer : ´Irmão, deixa-me tirar o cisco do teu olho´, quando não vês a trave no teu próprio olho?

Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás enxergar bem para tirar o cisco do olho do teu irmão.

Não existe árvore boa que dê frutos ruins nem árvore ruim que dê frutos bons.      Toda árvore é reconhecida por seus frutos.

Não se colhem figos de espinheiros nem uvas de plantas espinhosas.

O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração. Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, pois sua boca fala do que o coração está cheio”.

 

.............................................................................

 

 

Jesus vai ao extremo da indignação, ao ponto verberar a hipocrisia de quem finge ser o que efetivamente não é. Sobretudo quando o “roto” ousa repreender alguém como ele, ambos falhos de honradez.

Prossegue e insiste no mesmo teor de censura, no tecer comparações negativas de caráter, confrontadas com exemplos opostos daqueles cujo coração é sincero e aberto.

Quantas vezes nós mesmos, influenciados pela loquacidade insensata de terceiros, até sem o perceber, nos vemos envolvidos em falácias maldosas contra cidadãos até pouco ou nada conhecidos.

Situemo-nos, pois, a ver para que lado temos sido propensos, à maledicência loquaz e desenfreada ou ao bom senso, a preservar a retidão de nosso próprio caráter.

Não te faças de bom, se bom não és.

A graça, entanto, está sempre às mãos, a teu alcance.                                                                             

                                                                                                                                                      João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo