Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Não nos deixeis cair...

I DOMINGO DA QUARESMA

Fevereiro, 17 – Ano C

Evangelho (Lucas, 4, 1-13)

.............................................................................................................

“”    Naquele tempo, Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e, no deserto, era guiado pelo Espírito. Ali foi tentado pelo diabo durante quarenta dias. Não comeu nada naqueles dias e, depois disso, sentiu fome.

O diabo disse então a Jesus:

“Se és Filho de Deus, manda que esta pedra se mude em pão”.

Jesus respondeu:

“A Escritura diz: ´Não só de pão vive o homem’ ”.

 O diabo levou Jesus para o alto, mostrou-lhe por um instante todos os reinos do mundo e lhe disse:

“Eu lhe darei todo esse poder e toda a sua glória, porque tudo isso foi entregue a mim e posso dá-lo a quem eu quiser. Portanto, se te prostrares diante de mim em adoração, tudo isso será teu”.

Jesus respondeu:

“A Escritura diz: ‘Adorarás o Senhor teu Deus e só a Ele servirás’ “.

Depois o diabo levou Jesus a Jerusalém, colocou-o sobre a parte mais alta do templo e lhe disse:

“Se és Filho de Deus, atira-te daqui abaixo!  Porque a Escritura diz ‘Deus ordenará aos seus anjos a teu respeito, que te guardem com cuidado! ‘ E mais ainda: ‘Eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra’ “.

Jesus, porém, respondeu:

“A Escritura diz: ‘Não tentarás o Senhor teu Deus’ “.

Terminada toda tentação, o diabo afastou-se de Jesus, para retornar no tempo oportuno.

.............................................................................................................

O maligno é, antes de mais nada, um refinado mentiroso. Para aliciar não titubeia e usa até os mais ordinários ardis, que possam levar o homem ao erro e ao pecado.

Outra petulância dele é a de aproximar-se com muito dengoe total arrogância. A insistência e pertinácia, combinadas com a astúcia, armas que usa descaradamente.

Tão ousado, vai ao desplante de tentar Jesus.

Se assim agiu, com o Mestre, com que petulância não há de oferecer ao comum dos homens, pessoas muitas vezes desatentas, suas artimanhas e falsas promessas.

Daí vem a máxima evangélica, a de sempre estarem as pessoas atentas, sob permanente vigilância e oração.

Muito claro, por sinal, que o demo em muitas ocorrências já tenha subjugado esse mundo em progressiva desordem, que figuradamente se diria que ele até descansa.

Sutil, ardiloso, oferecido, o diabo é capaz de tudo na manha de colher adeptos.

Se é preciso estar atento, de outro lado se sabe que jamais no entanto o homem é tentado além de suas forças, mantidas estas, repita-se, pela vigilância e oração.

Vigiar e orar, pois.

Reza por isso o fiel, confiantemente, no Pai Nosso: ... e não nos deixeis cair em tentação...

Note-se ainda que o demônio veio a Jesus quando Ele já quase sucumbia fisicamente, por um jejum de quarenta dias no deserto. Enganou-se redondamente, porque espiritualmente Jesus se fortalecera e, como Deus, Senhor do Universo, inatingível pelo pecado.

                                                            João Paulo

 

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio