Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Não desista nunca

Não desista nunca
Erre, recomece, tente, faça de novo...
Nada mais atraente à esperança do que começar um novo ano. Começar um novo ano é acreditar que daqui para adiante tudo vai ser diferente... É nos permitir a renovação das atitudes, das metas e dos desejos. É acreditar que o melhoramento sempre é possível. Assim também é com o ano escolar. Caminhar pelos corredores da escola e observar os olhares atentos dos alunos, nas primeiras semanas de aulas, é a certeza de que todos nós, afinal, desejamos os melhores resultados.
 
Por que então, para alguns, essa postura é abandonada conforme o tempo vai passando?
 
Ocorre que a disciplina para os estudos está atrelada a um projeto de vida a longo prazo e que nunca se encerra. Manter atenção às aulas, fazer tarefas em casa e ainda estudar diariamente significa acreditar que o “mundo não se resolve num passe de mágica” e que as grandes conquistas estão associadas a muitos esforços. Ter sucesso nos estudos vai muito além da inteligência. Conheço vários exemplos de alunos inteligentes, de raciocínio rápido e brilhante, que não passaram da primeira fase de um grande vestibular. Porque nos estudos, assim como na vida, a batalha diária, a determinação, a garra, a luta, o esforço e a vontade têm revolucionado vidas, construído soluções, descoberto a cura das graves doenças e avançado nas pesquisas com células-tronco. Mas as velhas crenças, a acomodação, o não fazer e a lamentação constante têm destruído os sonhos, as possibilidades e, sobretudo, têm enganado muita gente de que o sucesso é para poucos.
 
Lembrando Nizan Guanaes, famoso publicitário baiano, “toda família tem um tio batalhador e bem de vida. E, durante o almoço de domingo, tem que aguentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo que ele faria, se fizesse alguma coisa. Chega dos poetas não publicados. Empresários de mesa de bar. Pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta à noite, todo sábado e domingo, mas que na segunda não sabem concretizar o que falam. Porque não sabem ansiar, não sabem perder a pose, porque não sabem recomeçar. Porque não sabem trabalhar.”
 
Precisamos trabalhar mais. Precisamos perseguir a perfeição; criar o hábito do melhoramento contínuo. Somos todos capazes. A ideia de que o aluno mais inteligente da turma nem precisa estudar para garantir as melhores notas é falsa, é mito... É desculpa boa para nossa preguiça. Volto a insistir: somos todos capazes!
 
Portanto, a mensagem que deve ficar, depois que todas as palavras desse texto forem esquecidas, é: colabore com você mesmo. Erre, recomece, tente, faça de novo, lute e principalmente estude, estude, estude muito... Por favor, não desista, porque essa é a única forma de concretizar os sonhos de todo começo de ano. 
Comentários

Conversas Entrelinhas

Mércia Falcini

Mércia Falcini

Psicopedagoga com Especialização em Formação de Professores e Sistema de Gestão. Atualmente é Diretora da Consultoria e Assessoria Saberes, Membro Fundador da Academia Saltense de Letras e colunista do site Itu.com.br.

Arquivo

14 de março de 2016

A corrida aos cinquenta

1 de outubro de 2015

Um filho gay: dores e amores

8 de dezembro de 2014

Refazendo as verdades

6 de março de 2014

A dor da perda

14 de fevereiro de 2014

A Pata do Elefante