Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Minha lista

Minha lista
Como é bom ser grato com a vida!

Pelos olhos que abrem, pelo dom da visão.

Pelo ar indo e vindo em cada pulmão.

Pelos braços e pernas, cada pé, cada mão.

Pela coluna ereta, o bater do coração.

Pela água que bebo, o pão e o cafezinho.

Pelo bom iogurte, a bolacha e o suquinho.

Por ter um lugar para ir trabalhar.

Por ter um bom salário para me sustentar.

Pelo roupa de baixo, pela calça e a camisa.

Pelo tênis e o agasalho que sempre precisa.

Pelo teto que tenho, o qual sempre me abriga.

Pelo abraço fraterno, pela gente amiga.

Pela juventude, pelo jeito maroto.

Pela cabeça feita, por ser sempre um garoto.

Pelas experiências que tive de viver.

Por coisas boas ou ruins que me fizeram crescer.

Pelo pai, pela mãe, por todos os parentes.

Pelas amizades sinceras, sempre presentes.

Pelos pais adotados, pelas mães adotivas.

Por tanta gente que com amor me cativa.

Pela chuva que incomoda, pelo sol que me aquece.

Pelo verão que me alegra, inverno que entristece.

Pelo outono tão calmo e a primavera tão linda.

Pelo ano que começa e depois então finda.

Pelos amores passados, futuros, presente.

Por sentir coisas boas e por tanta gente.

Pela solidão que até dói, mas que depois passa.

Pelo espírito feliz que faz tudo ter graça.

Pelos amigos e amigas, que vão e que vêm.

Até pelos inimigos, aprendo com eles também.

Por poder aprender a ser sempre sincero.

Por querer dar a vida aos que considero.

Pela justiça, pela fé, pelo amor e o perdão.

Pela fé no Cristo, bem no meu coração.

Por saber o valor do que é caridade.

Por sempre acreditar no bem, na verdade.

Por não ser derrotista e não desanimar.

Por não ser otimista a ponto de me cegar.

Por encarar a vida com naturalidade.

Por aprender a lidar com a realidade.

Por saber rezar quando a coisa aperta.

Por saber que a esperança é a rota mais certa.

Por reconhecer que eu não sou perfeito.

Por ter sempre uma coisa para dar um jeito.

Por estar consciente de que não sou deste mundo.

Por saber que a vida é um mistério profundo.

Por não paralisar nem diante da morte.

Por entender que a vida é graça e não sorte.

Por ter sido por Deus sempre amado.

Por jamais me sentir um abandonado.

Pela presença divina sempre ao meu lado.

Fiz esta pequena lista pra dizer obrigado.

Se de algo esqueci, se esqueci de alguém.

É o meu lado humano, sou falho também.

Tenho que evoluir, é o que me convém.

E a tudo arremato dizendo: amém!

- Faça seu comentário e mande sua sugestão de assunto para o artigo seguinte!

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é sacerdote católico apostólico romano e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo