Colunistas

Publicado: Sábado, 7 de maio de 2016

Milagre perpetuado

ASCENSÃO DO SENHOR

Domingo, 08.05.2016 – Ano C” de Lucas

Evangelho (Lucas, 24, 46-53)

...............................................................................................................................

“”    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:

“ Assim está escrito:

O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos no terceiro dia e, no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém.

Vós sereis testemunhas de tudo isso.

Eu enviarei sobre vós aquilo que meu Pai prometeu.

Por isso, permanecei na cidade, até que sejais revestidos da força do alto ”.

Então Jesus levou-os para fora, até perto de Betânia.

Ali, ergueu as mãos e abençoou-os.

Enquanto os abençoava, afastou-se deles e foi levado para o céu.

Eles o adoraram.

Em seguida voltaram para Jerusalém com grande alegria.

E estavam sempre no templo, bendizendo a Deus.

...............................................................................................................................

O alcance, o significado, a estupefação perante a leitura de um texto breve, se nele se debruce um pouco mais e se lhe repita o conteúdo mais de uma vez, fatalmente embevece a alma de todo ser humano normal.

Sim, ler e reler. Contemplar e meditar.

Transponha-se para a mente de cada leitor, atento e calmo, para que todo o significado miraculoso e verdade de uma cena de tal encanto e pasmo, penetre-lhe a consciência a fundo.

A magnitude, expressão comum e aparentemente fantástica, leva no dizer de Lucas todo fiel a um quase êxtase de admiração, alegria e crença no milagre derradeiro da subida incólume e vivo no retorno ao Pai.

O coração dos apóstolos esteve sim incendiado num momento longo de adoração.

Penetrada a fundo a passagem, ela justifica e ampara a adoração que os cristãos de todos os tempos se permitem viver, aqui sobretudo pela virtude da fé, diante do Santíssimo Sacramento do altar, Jesus presente ali em corpo, sangue, alma e divindade.

Roube-se aos apóstolos testemunhas oculares, mesmo que empanada daquele brilho, a sensação feliz de, ainda que pelo veio da Eucaristia e pela crença inabalável de cada um, continua presente, perto e atencioso a quem o procure e queira.

Louvado e adorado seja Nosso Senhor Jesus Cristo, vivo, no meio de nós.

Milagre perpetuado.

                                                                          João Paulo                                               

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

18 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio