Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Maria, a intercessora

 

II DOMINGO DO TEMPO COMUM

Ano C – 20 de janeiro de 2013.

Evangelho (João, 2, 1-11)

...............................................................................................................................

“”    Naquele tempo, houve um casamento em Caná de Galileia. A mãe de Jesus estava presente. Também Jesus e seus discípulos tinham sido convidados para o casamento.

Como o vinho veio a faltar, a mãe de Jesus lhe disse:

“Eles não têm mais vinho”.

Jesus respondeu-lhe:

“Mulher, por que dizes isso a mim? Minha hora ainda não chegou”.

Sua mãe disse aos que estavam servindo:

“Fazei o que ele vos disser”.

Estavam seis talhas de pedra colocadas aí para a purificação que os judeus costumam fazer. Em cada

uma delas cabiam mais ou menos cem litros. Jesus disse qos que estavam servindo:

“Enchei as talhas de água”.

Encheram-nas até a boca.

Jesus disse:

“Agora tirai e levai ao mestre-sala”.

E eles levaram.

O mestre-sala experimentou a água, que se tinha transformado em vinho. Ele não sabia de onde vinha, mas os que estavam servindo sabiam, pois eram eles que tinham  tirado a água.

O mestre-sala chamou então o noivo e lhe disse:

“Todo o mundo serve primeiro o vinho melhor e, quando os convidados já estão embriagados, serve o vinho menos bom. Mas tu guardaste o vinho melhor até agora!”

Este foi o início dos sinais de Jesus. Ele o realizou em Caná de Galileia e manifestou a sua glória, e seus discípulos creram nele.    “”

...............................................................................................................................

O milagre das Bodas de Caná – transformação de água em vinho – é o primeiro dos prodígios de Jesus trazido nos evangelhos, eis que a essa altura ele já contava com seguidores, tanto que foram igualmente convidados à festa.

Há uma aparente rudeza na resposta de Jesus à sua mãe, ao dizer que ainda não chegara sua hora. Ela, confiante, como se não tivera escutado, adianta-se em orientar os empregados para que fizessem o que fosse mandado por seu  filho.

Talvez aí, nesse passo, a primeira e inequívoca eficácia da intercessão de Maria, assim comemorada e aceita por todos os cristãos. Mãos seguras, portanto, para por seu intermédio levar nossos pedidos a Jesus. Chamada ela, pois, justificadamente, medianeira de todas as graças.

João Paulo II, ao aprimorar a recitação do Rosário, com a meditação também dos mistérios luminosos – ou da luz como outros preferem – fez deles constar, como segundo mistério, esta passagem do milagre das Bodas de Caná.

Fora um momento importante nos primeiros passos da vida pública de Jesus.

                                                                           João Paulo

                                                                       

 

 

                 

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio