Colunistas

Publicado: Domingo, 24 de junho de 2012

João, o último e o primeiro

DOMINGO, 24 de junho de 2012.

Nascimento de São João Batista.

Evangelho  (Lucas 1,5-17)

............................................................................................................

“”   Nos dias de Herodes, rei da Judeia, vivia um sacerdote chamado Zacarias, do grupo de Abia. Sua esposa era descendente de Aarão e chamava-se Isabel. Ambos eram justos diante de Deus e obedeciam fielmente todos os mandamentos e ordens do Senhor. Não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e os dois já eram de idade avançada. Em certa ocasião, Zacarias estava exercendo as funções sacerdotais no templo, pois era a vez do seu grupo. Conforme o costume dos sacerdotes, ele foi sorteado para entrar no santuário e fazer a oferta do incenso. Toda a assembleia do povo estava do lado de fora rezando, enquanto o incenso estava sendo oferecido. Então, apareceu-lhe o anjo do Senhor, de pé, à direita do altar do incenso. Ao vê-lo, Zacarias ficou perturbado e o temor apoderou-se dele. Mas o anjo disse:

 “Não tenhas medo, Zacarias, porque Deus ouviu tua súplica. Tua esposa, Isabel, vai ter um filho, e tu lhe darás o nome de João. Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino, porque ele vai ser grande diante do Senhor. Não beberá vinho nem bebida fermentada e, desde o ventre materno, ficará repleto do Espírito Santo. Ele reconduzirá muitos do povo de Israel ao Senhor seu Deus. E há de caminhar à frente deles, com o espírito e o poder de Elias, a fim de converter os corações dos pais aos filhos e os rebeldes à sabedoria dos justos, preparando para o Senhor um povo bem disposto”.   “”

............................................................................................................

O anjo profetizou sobre João Batista naquilo que dizia respeito a uma escolha predestinada, vinda dos céus, ele com uma missão definida, a de ser o precursor.

Na saudação do anjo, Zacarias ouviu referências sobre o menino, elogiosas todas, a ponto de parecer que tudo seriam flores no futuro.

Há poucas referências ao que tenha sido a vida de João ao longo dos anos. Em verdade, nas escrituras há como que um salto da notícia de seu pré nascimento, ainda no ventre da mãe visitada por Maria, sua prima, para a fase adulta de sua missão pública e conhecida.

Ele foi o último dos profetas do testamento antigo e o primeiro do novo, com o que João estabeleceu um liame entre essas duas fases.  

Em verdade, João confirmou com sua vida despojada, não ter outra missão que não fosse a de  anunciar Jesus, tanto mais dignificado ao ser por Ele batizado.

Por questão de coerência, seja qual for o ramo de atividade, o cristão pode encontrar meios de fazer-se fiel a Deus e à sua crença. Em quaisquer profissões.

Por isso mesmo, muito se deve àqueles que em tempos de hoje, de certo modo se isolam em boa parte da vida social e recreativa, para cuidarem do culto e do atendimento aos fiéis.

São poucos, como bem se sabe.

A messe é grande e os operários são poucos.

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

15 dias atrás

Olhemo-nos de frente

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio