Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Jesus Soft Light

Crédito: Internet Jesus Soft Light
Tem gente que trata Jesus como brinquedo.

Não é de hoje que vivemos um tempo de relativismo e relaxos morais, éticos e espirituais. A verdadeira crise humana é a da sua interioridade, cada vez mais leviana, descompromissada e libertina. Deus está morto, tudo é permitido e é proibido proibir: eis a base da filosofia de vida de muitos, embora muitos tenham vergonha de admitir por saberem que no fundo não é bem assim.

Não sejamos inocentes: o ideário da “liberdade, igualdade, fraternidade”, do jeito que nos foi vendido na Revolução Francesa, fracassou retumbantemente. Neste mundo sempre seremos escravos de algo, principalmente de nós mesmos. Nossas vidas e histórias jamais serão iguais, pois não teremos todos as mesmas chances e experiências. Com isso, a fraternidade nunca deixará de ser um punhado de frases feitas utilizadas para marketing do bem.

Jesus de Nazaré passou por este mundo para nos ensinar que: podemos ser livres pela Fé; podemos ser iguais pela filiação divina; podemos ser irmãos e irmãs não conforme a carne, mas pelo espírito. O Nazareno ensinou muitas outras coisas e aceitou até morrer por causa do Evangelho. Mas, hoje, quem entende Jesus?

A vida e os ensinamentos deixados por Cristo merecem uma séria dedicação. É preciso entender uma série de contextos e situações. Não funciona ficar pinçando as frases e as lições que nos servem mais e rejeitar outras tantas coisas valiosas. Decerto que o Evangelho é lindo e maravilhoso. É uma verdadeira carta de amor de Deus para cada um de nós. Porém, o amor não é feito de conveniências. O amor é construído com esforço e, principalmente, sinceridade diante de Deus.

Jesus tem, sim, frases muito duras. Mas elas nos servem de alerta e revelam a preocupação do Nazareno para conosco. Frase boa é aquela que nos faz pensar. Ensinamento bom é aquele que muda a nossa vida. Eis alguns ditos de Jesus nessa linha do que estamos comentando:

- “Não julgueis que vim trazer paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada” (Mt 10,34);

- “Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo se encolerizar contra seu irmão, será réu do fogo do inferno” (Mt 5, 21);

- “Nem todo o que me diz: ‘Senhor, Senhor!’ entrará no reino dos céus” (Mt 7, 21);

- “Qualquer um que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus” (Mt 10, 33);

- “Como sois sem inteligência e lentos para crer em tudo o que os profetas falaram!” (Lc 24, 25).

Que Jesus nos ama? Certeza absoluta! Mas que ele tem exigências? Também é certo. Ultimamente existe entre nós uma modinha de transformar Cristo em outra criatura, uma espécie de “Jesus Soft Light”, muito fofinho e com sabor de jujuba. Esse não existe. A pessoa de Jesus Cristo é outra. Sim, ele é duro às vezes, mas porque merecemos. Pare. Pense. Mude. A conversão é para todos e sem buscar esse caminho não há como entender Jesus.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é sacerdote católico apostólico romano e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo

13 dias atrás

CATÓLICO MEIA-BOCA

26 dias atrás

Chame o Padre!

27 de junho de 2019

Tudo, Menos Católico...