Colunistas

Publicado: Sábado, 29 de junho de 2019

Gratidão por ouvir os chamados

Crédito: Arquivo Pessoal Gratidão por ouvir os chamados
O chamado tem som de luz.

Existem muitos tipos de chamados. O meu é invisível, mas sei que existe porque pulsa na intuição do meu sentir. Nem sempre ele se veste de letras, porque é mais melodia do que palavra.

Meu chamado me guia por caminhos inesperados, como um perfume de canto que me leva e eleva.

Aprendi a reconhecê-lo, aceitá-lo e segui-lo. Não como quem segue um guru na cegueira do desejo. Escuto atentamente sua voz silenciosa que me grita.

São os chamados da alma.

Tais chamados me levam para os espaços e tempos mais importantes e improváveis da minha vida. Abrem estradas novas, rompem barreiras, chacoalham certezas e me desviam de atalhos fáceis porém vazios de significado.

Tais chamados me guiam com a sabedoria dos oráculos, ancorando em mim a morada. Eles me nutrem, me viram de cabeça para baixo e tornam o impossível possível.

Olho para trás e reconheço tantos momentos ressignificadores nos quais ouvi esse chamado, único e essencial, de simplicidade branca.

Seguir o chamado é uma escolha espiritual, que transcende as regras do poder e mergulha na verdade urgente do ser. Por ter sede, transborda no vazio para emergir com novas verdades.

Nunca somos os mesmos depois de seguir um chamado. Mas na controvérsia deste pensamento, ouso dizer que seguir os chamados nos transformam em nós mesmos, conectando a semente à flor, a lagarta à borboleta. Portanto, no mais íntimo da beleza, ouvir o chamado nos convida a sermos sempre os mesmos. A mesma criança que sentiu a imensidão um dia; o mesmo jovem que mergulhou no mar dos ideais. O mesmo adulto que não adormeceu os sonhos. O mesmo sábio que com a maturidade floresce.

O Chamado tem som de luz. Ouvi-lo, reconhecê-lo e segui-lo é a mais pura entrega.

Sou infinitamente grata por ter aprendido a ouvir com humildade e ternura a guiança a que ele me convida.

O chamado tem som de luz.

Deborah Dubner faz #umagradecimentopordia em seu facebook desde 2010, uma prática simples que nasceu de um chamado. Seu livro “ A Prática da Gratidão” foi lançado em 2018 e tem a vocação de espalhar sementes de gratidão por aí.

Comentários

A Prática da Gratidão

Deborah Dubner

Deborah Dubner

Psicóloga, escritora, Focalizadora de Danças Circulares. Idealizadora da Pratica #umagradecimentopordia, que se tornou um Movimento de Gratidão. Autora de quatro livros, publicou em 2018 "A Prática da Gratidão", que tem sido tema de rodas de conversa.

Arquivo

29 de junho de 2019

Gratidão por ouvir os chamados

21 de maio de 2019

Eu sem ela

8 de maio de 2019

Quando agradeci 30 anos depois

14 de dezembro de 2018

Patchwork da Gratidão

22 de novembro de 2018

Thanksgiving - A escolha da Gratidão

Ariza Centro Veterinrio