Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 12 de maio de 2016

Funcionária Dilma: Férias Forçadas

Crédito: Internet Funcionária Dilma: Férias Forçadas
Funcionária Dilma foi pras férias sem saber se será demitida na volta.

Em 2014 o Funcionário Lula precisava deixar o cargo na Firma Brasil. Indicou ao Patrão Povo uma colega para ser promovida. E foi o que aconteceu. A Funcionária Dilma disse a todos que era capacitada para o cargo. Infelizmente, descobriu-se depois, exagerou sobre si mesma. Não se deve negar a boa vontade que tinha. Mas, diz o ditado: de boas intenções o inferno está cheio.

Um dos deveres da Funcionária Dilma era cuidar do orçamento da Firma Brasil. Entre outras coisas ela prometeu que, em 2015, economizaria cerca de 55 bilhões. Todos ficaram contentes com a perspectiva. Daí veio a triste realidade no final do ano: em vez de economizar, ela permitiu uma gastança e deu-se um rombo, um saldo negativo de 120 bilhões.

A Funcionária Dilma não era de conversar muito com os colegas. Tomava as decisões por si mesma, não trocava idéias. Encafifava com algum projeto e mandava ver. Não respeitava os mais velhos na Firma Brasil ou, ao menos, sequer demonstrava algum interesse pela opinião alheia. Foi ficando isolada no ambiente de trabalho. Quando se enrolou de vez, não teve apoio além de uma meia dúzia de coleguinhas.

Em sua mente, a Funcionária Dilma começou a se sentir perseguida. Às acusações de incompetência, respondia que tudo não passava de um golpe de palavras. Se errar é humano, um trabalho mal feito deve ser perdoado. Era com essa falta de lógica que começou a desagradar de vez a todos na Firma Brasil.

Então o Patrão Povo manifestou-se. Pediu ao Encarregado Congresso e ao Gerente Senado que tomassem uma providência. A turma do RH Supremo concordou. Após algumas reuniões, decidiram o que fazer: a Funcionária Dilma seria afastada, ganharia um período de férias de até 180 dias. Até lá veriam como se desenvolveriam os trabalhos na Firma Brasil.

Agora a Funcionária Dilma está nessa: depois das férias na firma, não sabe se vão mandá-la embora ou não. Para seu azar, tudo parece indicar que sim. O Brasil hoje tem cerca de 12 milhões de desempregados e a média para encontrar outra ocupação é de 8 meses.

Funcionários passam. A Firma Brasil fica. É necessário trabalhar direito para que tudo funcione bem. A questão é deixar o Patrão Povo satisfeito, fazendo o possível para garantir o seu bem-estar e evolução social. E, se por acaso, algum outro Funcionário não trabalhar direito, é bom que saiba da possibilidade de ser realmente demitido.

Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo