Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

Excesso de Peso / Obesidade e Atividade Física

Inicialmente, temos que definir os termos excesso de peso e obesidade, uma vez que são usados erroneamente. Excesso de peso refere-se a qualquer peso que exceda a faixa de peso para uma determinada altura, biotipo, sexo, idade – valores que foram determinados em médias populacionais. Obesidade é definida como um aumento excessivo da quantidade de gordura corporal. Excesso de peso e obesidade são um sério problema de saúde pública.
 
Até recentemente acreditava-se que a principal causa da obesidade residia no excesso de comida, fazendo uma analogia, seria a mesma coisa que entender o alcoolismo como o consumo excessivo de álcool. Existem outros fatores que contribuem para a obesidade. Então fica uma pergunta: como a obesidade se desenvolve? Infelizmente, a resposta a essa pergunta é complexa e envolve fatores: genéticos, nutricionais, endócrinos, hipotalâmicos, além da inatividade física. Os aspectos genéticos são dificeis de se compreender, mas certamente existem algumas síndromes que levam à obesidade (as quais não cabem serem aqui discutidas). Fatores nutricionais, estudos comprovam que hiperalimentação acarreta um aumento na gordura corporal total.
Fatores endócrinos e hipotalâmicos podem produzir obesidade, seja através de alguns hormônios (insulina, glicocorticóides, estrógeno e progesterona) ou por intermédio de alguma lesão que afete o hipotálamo, centro responsável da fome e da saciedade. Por outro lado, podemos afirmar que excesso de peso é resultante do desequilíbrio entre o número de calorias consumidas x calorias gastas para suprir nossas atividades diárias. Isto é, precisamos causar um desequilíbrio em nosso organismo, modificando nossos hábitos alimentares (aprendendo a comer de maneira certa) e incorporando atividades físicas em nossa rotina diária. Essa combinação alimentação x atividade física resulta em um indivíduo muito mais saudável e conseqüentemente mais magro.
 
É importante salientarmos, que as pessoas obesas morrem mais jovens e sofrem com maior freqüência de uma série de problemas médicos, que estão associados com o aumento excessivo de peso, entre eles se encontram: 1) hipertensão e aumento do risco de congestão cerebral, 2) diabetes mellitus, 3) doença renal, 4) doenças pulmonares, 5) diminuição da função cardíaca devido ao aumento do trabalho mecânico do coração, 6) concentrações anormais de lipídios plasmáticos e lipoproteína, 7) intolerância ao calor.  
   
Existe um ditado que diz difícil não é perder peso, é manter-se magro. O conteúdo gorduroso do corpo esta significativamente associado à atividade física. Atletas e ou indivíduos ativos são menos obesos e/ou mais magros que as pessoas sedentárias. Algumas considerações que todo profissional de Educação Física deve considerar:
- A falta de atividade física constitui a causa primária da obesidade.
- A prevenção da obesidade através de exercícios regulares e de uma dieta apropriada é mais bem sucedida que seu tratamento.
- O exercício físico mantém baixo o conteúdo gorduroso total do corpo e pode reduzir o rítmo de acúmulo das células adiposas.
- As atividades físicas devem levar em conta um considerável dispêndio energético, respeitando as capacidades físicas de cada indivíduo.
- Os hábitos de vida são desenvolvidos precocemente, logo, quanto mais cedo são iniciados os programas de controle, melhor. 
              
Segundo inúmeras pesquisas, os tratamentos com medicamentos e dietas hipocalóricas (baixo teor calórico) produzem resultados imediatos em termos de perda de peso corporal total (estudos tem demonstrado que indivíduos submetidos somente à dieta sem um programa de atividade física associado, perdem peso corporal, mas 50% seria proveniente de gordura e 50% restante da perda de massa muscular), mas a longo prazo os resultados são desestimulantes e as recidivas no primeiro ano é elevada. O método bioenergético, propostos pelos profissionais de Educação Física não traz resultados imediatos, mas a longo prazo resulta na diminuição do excesso de gordura corporal (sem que haja perda de massa muscular), aumento da aptidão física e prevenção de doenças cardiovasculares.
 
O método bioenergético consiste em reduzir a ingestão de calorias excessivas e aumentar o gasto energético diário através de exercícios físicos. Ele se baseia no fato que existe uma relação significativa entre a inatividade e a prevalência da obesidade.
 
Um programa destinado à perda de peso corporal deve incluir:
- avaliação médica
- avaliação nutricional
- avaliação física: antropometria – peso corporal, cálculo da porcentagem de gordura e de massa magra, IMC (índice de massa corpórea)
- prescrição dos exercícios físicos: os exercícios ideais são os aeróbios – caminhadas, ciclismo, natação devem ser de baixa intensidade e longa duração todos os dias da semana. Exercícios resistidos - musculação com baixa carga e bastante repetição (RML).
Comentários

Práticas Esportivas & Saúde

Marcio Linardi

Marcio Linardi

Marcio Linardi é Professor MS de Educação Física, com pós-graduação em Fisiologia do Esforço pela UNESP e Mestrado em Fisiologia pela UNICAMP. Realiza em Itu programas de condicionamento físico e de reabilitação para pacientes pós clínico/fisioterápico.

Arquivo