Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Entre a cruz e a espada

Crédito: àlbum de família Entre a cruz e a espada
Há que se optar

 

Dedicado a todos que dormem e acordam pensando

Na importância do bem, na importância da consciência

Na importância de sairmos de nós mesmos 

E nos questionarmos se, de fato, estamos certos

 

Se você se sentir entre a cruz e a espada

Opte pela espada!

Se você tiver que lutar, lute, vá em frente

O amor não está na cruz, está na espada

- Do suor de seu rosto terás seu sustento!

Das tantas batalhas que batalhamos

Conquistamos nossas vitórias

E com elas a nossa Liberdade

O bem maior, a maior conquista do Ser

Nas redes e nas conversas...Sociais

Se fala do amor

Mas o que é o amor, senão o deixar de si mesmo

Senão a compreensão plena do outro

A percepção de que só existimos para o nosso próximo

O que é o amor pleno senão a dedicação constante, sem tréguas

Senão este bater constante do coração por causas que não são nossas

Sim! Por causas que não são nossas.

Qual o exemplo da cruz, senão o grito saindo das entranhas

Ecoando nas montanhas, no vento, nas ondas, nas ruas, nas batalhas

Dizendo que a Liberdade é o segredo

E o segredo está no empunharmos nossas espadas a cada dia

E em todos os dias de nossa existência, com coragem, com sabedoria

Em prol da verdade, daquela verdade que conhecemos muito bem

Que está lá dentro nos falando do caminho...

Do caminho em defesa da dignidade, do trabalho, da honestidade, da bondade...

Com as mulheres, com as crianças, com nossos pais e nossos irmãos

Com nosso próximo, enfim

- Não aquele próximo que nos bajula, mas aquele que, sem forças

Está abandonado por todos, e por nós mesmos

À margem do caminho, sem direito à nossa mesa farta

- Afinal, que tipo de cristãos somos nós?

Que frequentam igrejas das mais diversas, centros, etecetera

Que se acham os tais, os donos da verdade

Mas não temos coragem de amar nossos pais, nossos irmãos

De defender nossas companheiras e companheiros de jornada

Só a espada nos abrirá o caminho!

A cruz aponta para a espada

O grito de liberdade ecoa, e ecoará sempre

A cada dia que nos levantarmos para o trabalho

- E silenciará se não nos levantarmos.

Nos dizendo de nossa responsabilidade como humanos

Nos falando a altos falares, de nossa responsabilidade cristã.

Amar é sentir o sangue ferver diante das mazelas

Amar é sentir o coração pulsar mais forte mediante as injustiças

Amar é sentir compaixão por aqueles que sofrem essas injustiças

Amar é se posicionar no lado mais fraco da corda

E assim, alterar o equilíbrio de forças...

Entre a cruz e a espada, a espada!

Comentários

Comunicação

Sidarta da Silva Martins

Sidarta da Silva Martins

Educador precoce lecionava, gratuitamente, Português, Matemática e História aos colegas do Regente Feijó, em Itu. Professor universitário e pesquisador, afirma nas palestras que faz: "A Educação deve formar o cidadão global, e o homem bondoso universal!"

Arquivo