Colunistas

Publicado: Sábado, 23 de outubro de 2010

É saber orar

Trigésimo Domingo Comum.

O evangelho é continuação direta ainda do capítulo 18 de Lucas, visto na semana passada. Versículos imediatamente seguintes; agora, pois, os do 9 ao l4.

Mensagem simples, direta e óbvia.

*   *   *   *   *

“” Naquele tempo, Jesus contou esta parábola para alguns que confiavam na sua própria justiça e desprezavam os outros:

“Dois homens subiram ao templo para rezar: um era fariseu, o outro cobrador de impostos.

O fariseu, de pé, rezava assim em seu íntimo: ‘Ó Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens, ladrões, desonestos, adúlteros, nem como este cobrador de impostos. Eu jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de toda a minha renda’.

O cobrador de impostos, porém, ficou a distância e nem se atrevia a levantar os olhos para o céu; mas batia  no peito, dizendo: ‘Meu Deus, tem piedade de mim, que sou pecador!’

Eu vos digo, este último voltou para casa justificado, o outro não. Pois quem se eleva será humilhado e quem se humilha será elevado”.  “”

*   *   *   *   *

O momento da oração pessoal e íntima com Deus, que aos católicos se oferece amplamente por exemplo na visita ao Santíssimo, haveríamos todos de aprender justamente com o cobrador de impostos, que ali se desnudou por inteiro quanto à sua vida interior, porque se reconhecera fraco, falível, pecador.

Em Itu, cidade de muitas igrejas e paróquias, é fácil encontrar a chamada Capela do Santíssimo, em geral uma saleta isolada e onde reinam o silêncio e a quietude. Faça-se ali o colóquio com Deus.

Exatamente na Igreja matriz e central de Itu, a paróquia mãe, faz-se a exposição do Santíssimo todos os dias e ali o Mestre se posiciona, atencioso a quantos o visitem, no amplo horário das 7h30 até às 17h.

Esse local privilegiado tem uma aura mística e inexplicável, algo sublime e envolvente, apesar de situar-se bem lado de uma rua das mais movimentadas da cidade. Apenas se adentre à Capela, tem-se um silêncio de deserto, propício às confidências entre criatura e Criador.

Desavisados seriam portanto os que fossem ajoelhar-se diante de Jesus para simplesmente se jactar de seus pretensos valores ou entao reclamar da vida ou contra pessoas que os perturbem. Desnude-se ali; esta a expressão exata. Jesus sabe tudo e nada lhe passa ao olvido. Não atinja nem reclame de um eventual semelhante, amigo, inimigo, parente ou quem seja, simplesmente porque aquele outro é igualmente amado por Deus.

É saber orar.

                                                                                                                     João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

20 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio