Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 22 de abril de 2015

Duas Caixas Para Entender Jesus

Crédito: Internet Duas Caixas Para Entender Jesus
Jesus não é mito, sempre foi bastante real na História.

Uma pessoa de boa vontade, desejosa de conhecer mesmo a verdade em relação a Jesus, precisaria de duas caixas (metaforicamente falando). Uma seria a caixa da História. A outra seria a caixa da Fé. Cada caixa é distinta da outra, mas nenhuma delas é mais importante que a outra. Não se pode escolher uma e jogar a outra fora, sob o risco de construir uma imagem distorcida do verdadeiro Jesus Cristo.

Um Cristo somente histórico, deixando de lado sua dimensão de fé, seria apenas mais um revolucionário, um hippye judeu, um Sócrates rabino ou algo assim. Um Jesus somente religioso, deixando de lado sua dimensão histórica, seria apenas um líder alienado, um bom moço pacifista, um milagreiro messiânico. Nenhuma dessas imagens corresponde ao verdadeiro Jesus Cristo, homem e Deus encarnado, presente na História humana e ressuscitado para a vida eterna.

Não há provas em questões de fé. Os que fazem perguntas aos religiosos, buscando respostas prontas, podem se espantar com a quantidade de questões que os estudiosos teólogos ainda têm sobre tudo o que diz respeito a Deus. O que nos ajuda, realmente, no conhecimento de Jesus Cristo, é o constante exercício de confrontar nossa História humana com a Fé sobrenatural que temos, num vai e vem sem fim.

Por mais críticas que tenha, nenhum historiador consegue, apenas com argumentos racionais, explicar como um indivíduo (Jesus) perdido lá na Galiléia, há dois mil anos, juntou um grupinho de poucos discípulos que depois multiplicou-se, cresceu e se espalhou por todo o mundo conhecido de então, mudando culturas e disseminando valores que se tornaram as bases para a fundação da civilização ocidental como a conhecemos hoje. Se não há algo de sobrenatural e divino nesse caminhar de vinte séculos, não sei como explicar. Ateus, agnósticos ou críticos ferrenhos podem até não gostar da Igreja, mas deveriam ser minimamente gratos a ela.

Jesus não é mito, sempre foi bastante real na História. Quem afirma o contrário não entende nem de História e nem de Fé. Mas nos dias de hoje, nos quais as pessoas gastam horas na internet com discussões non sense sobre a cor de um vestido, debatendo sobre isso sem nenhuma razão aparente, como esperar que se dediquem profundamente a uma pesquisa séria a respeito da pessoa de Jesus Cristo, bem como a uma análise sincera das questões de fé que o Nazareno nos apresenta?

Amém!

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo