Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

Eu me chamo Camila. Minha mãe chama-se Eulália e meu pai Fernão, aliás, minha mãe mesmo é a minha irmã Estela, mas meus pais me adotaram porque ela era muito nova para ter filhos.

Minha irmã Estela, que na verdade é minha mãe biológica, casou-se com o Fernando.

Um fim de semana sim, outro não, Carol, a filha do primeiro casamento do Fernando ia para a casa deles e nesses dias eu também ia para brincar com ela.

Como nós ficamos muito amigas, a mãe da Carol me convidou para passar na casa dela os fins de semana que Carol ficava com ela.

 O namorado da Silvia, mãe de Carol também tem uma filha mais ou menos de nossa idade e às vezes coincidia de a gente se cruzar e foi assim que nos conhecemos.

Passamos a sair juntas. De certa forma éramos parentes, mas como era difícil explicar esse parentesco dizíamos simplesmente que eramos primas.

Das brincadeiras de crianças passamos às descobertas da adolescência, sempre muito amigas.

Mas, a Estela, minha irmã, que na verdade é minha mãe, brigou com o marido e ele arranjou outra que tinha um filho, o Lucas.

Conhecemos o Lucas em uma balada. Como sempre, estávamos as três juntas.

Conversamos, dançamos ele foi muito gentil, eu fiquei muito impressionada com ele e percebi que minhas amigas também não ficaram menos, mas ele me deu uma atenção muito especial o que me deixou cheia de esperança.

Quando contei a Estela, ela ficou furiosa comigo. Disse que não queria que eu namorasse o filho daquela mulher.

Continuei me encontrando com Lucas, contra a vontade de Estela.

A mãe de Carol estava com namorado novo e a da Amanda estava solteira.

As duas estavam com outros interesses e largaram do pé das meninas que aproveitavam ao máximo a liberdade, mas eu não podia acompanhá-las, pois tinha então as duas mães me vigiando, Estela porque não queria envolvimento com a nova família de Fernando e Eulália porque tinha medo que me acontecesse o mesmo que acontecera a Estela.

A essas alturas entendi que “o que acontecera a Estela” era eu ter vindo a este mundo. Será que estou demais aqui?

Fiquei muito magoada e a única pessoa que me compreendia e amava era o Lucas. Pelo menos era o que eu pensava..

Raramente encontrava agora com Amanda e Carol, mas as duas continuavam inseparáveis.

Até que um dia Amanda adentrou chorando a minha casa e para minha surpresa contou que estava namorando o Lucas e descobrira que ele e a Carol se encontravam escondido dela.

E, o pior de tudo, estava desconfiada de que estava grávida.
 

Comentários

Os contos da Maith

Maith

Maith

Escritora amadora, apelidada carinhosamente de bisavó blogueira. Vive em Sorocaba.

Arquivo

30 de abril de 2012

Um rosto barbado

23 de abril de 2012

O ovo da Páscoa

16 de abril de 2012

Pode me chamar de Judas

9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

2 de abril de 2012

Flores da minha vida