Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 15 de março de 2017

Disbiose X aumento de gordura corporal

Crédito: www.google.com.br Disbiose  X aumento de gordura corporal
obesidade

Disbiose como conhecida no meio acadêmico, é um desequilíbrio da flora bacteriana intestinal, capaz de reduzir a capacidade de absorção dos nutrientes pelo nosso organismo, gerando carência nutricional no indivíduo. O desiquilíbrio em questão é causado pela diminuição do número de bactérias boas, que possuímos em nosso intestino e aumento das bactérias "ruins". Este fator pode ser entre outros como gerador do aumento de peso, além dos conhecidos como:dieta não saudável, um estilo de vida sedentário, e a expressão de alguns genesrelacionados a obesidade, especialmente para as pessoas que brigam diariamente contra o excesso de peso tendo habitos saudaveis.

Nos ultimos anos, pesquisadores vem encontrando fortes evidências que apontam grande relevância, nos estudos sobre obesidade e bactérias intestinais. Prematuras evidências indicam que um desequilíbrio na flora intestinal, pode alterar a forma de armazenar gordura, e alterar os níveis de glicose no sangue e as respostas dos hormônios que nos fazem sentir fome ou saciados. Ao que parece, a disbiose ajuda na definição do cenário para surgimento da obesidade e o diabetes. Esta constatação começou a ser observada em estudo com experimento animal, onde cientistas transferiram a microbiota de ratos obesos para animais magros e em seguida obser­varam que os animais com peso normal ganharam um aumento de peso após a alteração de sua flora intestinal.

Alterações na composição da microbiota intestinal com presença de inflamação também têm sido relatadas e observada em humanos,  sendo alvo de extensas pesquisas, mostrando mais bactérias patogênicas ou bactérias maléficas x menos benéficas nos indi­víduos de elevado peso, e após uma perda considerá­vel de massa, quando essa relação se inverte.  O que se sabe até o momento é que a dieta é rela­tada como a principal influência envolvida entre a microbiota e a obesidade, e que o exercício físico realizado de forma regular reduz o quadro inflamatório no organismo e atenua a glicose circulante. Sabe-se que escolhas alimentares errô­neas alteram o microbioma intestinal prevalecendo bactérias patogênicas e, secundariamente, podendo causar obesidade. A partir desse raciocínio, faz-se necessário a colonização de bactérias benéficas para digerir e absorver os nutrientes da dieta.

A prevalência de disbiose intestinal nos indivíduos obesos já foi constatada em diversas estudos científicos, o que alguns pesquisadores tentam agora é avaliar uma possível modificação do microbioma com o uso de probióticos, revertendo assim a relação de bactérias maléficas x benéficas, e, com isso, usar cepas de Lactobacillus para a redução do peso de gordura corporal em obesos.

 Fonte: Revista Essentia Edição 10 - http://essentia.com.br/revista/

Comentários

Entendendo o mundo fitness

Pedro de P. L. Aguiar

Pedro de P. L. Aguiar

Graduado em Educação Física pelo Ceunsp; Pós-graduado em bioquímica, fisiologia, treinamento, nutrição desportiva pela Unicamp; e Pós-graduando em fisiologia do exercício com ênfase em envelhecimento, saúde e doenças na USP.

Arquivo

20 dias atrás

Suor x Emagrecimento

29 de março de 2017

Modalidades extremas

15 de fevereiro de 2017

Gestação e a obesidade