Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 14 de junho de 2018

Dia dos namorados dos novos pais

Crédito: Imagem Ilustrativa Dia dos namorados dos novos pais

Dia 12 de junho, no Brasil, é a data comemorativa do famoso dia dos namorados, celebração que auxilia no aquecimento do mercado, pois diversos casais apaixonados se dedicam para demonstrar para a pessoa escolhida como companheira (o) a magnitude do amor contido em seus relacionamentos. Para alcançar esse objetivo, muitos compram presentes, preparam jantares maravilhosos, organizam passeios memoráveis, escrevem textos românticos junto às postagens de fotos do casal em redes sociais para que todos admirem o amor, enfim, inúmeras estratégias valem para demonstrar o amor nessa data. Desta forma, para comemorar esse dia especial, a coluna de hoje propõe refletir sobre o dia dos namorados dos “recém-pais”, ou seja, dos “namorados” (namorados, casados, amasiados, ficantes, rolos entre outros) que recentemente tiveram a chegada de um novo ser em seus cotidianos e que provavelmente modificou diversos fatores na vida desses indivíduos.

Com a chegada do filho (a), modificações ocorrem na vida da mulher e do homem e consequentemente a relação do casal acompanhará as metamorfoses que a maternidade e paternidade ativa proporcionam. Algumas diferenças podem ser vistas nos primeiros meses, sendo assim, o dia dos namorados dos “novos pais” podem ocorrer da seguinte forma: a noite bem dormida com o casal abraçadinho poderá ser substituídas por uma bela noite acordada pelo o “ritmo ragatanga” do chorinho do bebê, a tranquilidade de uma preparação gourmet de um almoço/jantar pode ser alterado por um estilo de comida rápida e com estratégias semelhantes às famosas corridas de revezamento (enquanto um se alimenta o outro fica com o bebê), o planejamento de um passeio relax e controlado pode ser realocado por uma imprevisível e surpreendente modificação de plano pelas trocas repentinas de fraldas e novidades que os pequenos nos oferecem, ou seja, novos momentos e oportunidades do casal aprender e conhecer sobre a recente dinâmica familiar.

As intensas metamorfoses individuais (positivas e/ou negativas; previsíveis e/ou imprevisíveis) que os pais vivenciam desde a descoberta da gestação e que se potencializam com a chegada dos pequenos, podem gerar no mínimo dois caminhos: o primeiro está composto por diversos conflitos na vida do casal. Já o segundo poderá ser uma nova fase de descobertas e conhecimentos sobre si e o outro. No primeiro tópico, são várias as contingências que estão imbricadas nas brigas e desgastes no relacionamento, como por exemplo: a mãe que está cansada com a quantidade de atividade do cotidiano, o pai que está com dificuldade em se relacionar com bebê, a mulher que está vivenciando a intensa montanha russa que é o puerpério, o companheiro que não participa dos cuidados do filho, o casal que não conversa mais sobre os sentimentos e pensamentos, a falta de compreensão por uma das partes do casal entre outros. Esse caminho pode se intensificar com a falta de diálogo e a culpabilização do outro, podendo resultar no término do relacionamento e diversos sofrimentos.

O segundo caminho, que também tem suas peculiaridades e dificuldades, está na oportunidade de descobrir, a partir das novas modificações que ocorrem após a presença do novo membro da família, a metamorfose que a maternidade e paternidade propiciam. Provavelmente, esse momento na vida do casal promoverá uma excelente oportunidade em conhecer o novo (a) companheiro (a), de admirar as qualidades e habilidades adquiridas, de comemorar as vitórias diárias, de conversar sobre os medos e dificuldades de criar um bebê, de aproveitar as aprendizagens da recém-adquirida rotina, de se permitir sorrir e chorar com as novidades e buscar/oferecer apoio para a companheira (o) nos momentos mais intensos. Esse caminho surpreenderá e favorecerá o bem estar para ambos no relacionamento, além de auxiliar na criação do novo integrante da família.

Portanto, o dia dos namorados após a chegada do filho (a) pode ser uma formidável oportunidade de celebrar as novas conquistas e descobertas, de flertar e se apaixonar pelas qualidades das novas pessoas que se transformaram, sempre buscando dialogar sobre as dificuldades e medos da atual fase, mas também enfatizando as potencialidades e alegrias desse processo. No dia dos namorados, dos recém-pais, comemorem as metamorfoses, se conquistem novamente rastreando as memórias do inicio do “amor” e escrevam linhas inéditas na história do casal após a construção da nova família.
 

Comentários

Maternidade & Paternidade

Diego Henrique Perez

Diego Henrique Perez

Formado em Psicologia pelo CEUNSP com pós-graduação em Psicologia Clínica em Saúde Reprodutiva da Mulher e Hospitalar pela UNICAMP. Educador Perinatal pelo GAMA e colaborador do grupo GAIA. Dedica-se a grupos de patern/matern, atendimentos em psicoterapia

Arquivo