Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Dia de Reis

 

 

Dia de Reis - Domingo.

Janeiro, 8.  2012.

Liturgia do Ano “B”.

Evangelho de Mateus (2, 1-12.

.....................................................................................

“”    Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém, perguntando:

“Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer? Nós vimos sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo”.

Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbado, assim como toda a cidade de Jerusalém. Reunindo todos os sacerdotes e os mestres da lei, perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer. Eles responderam:

 “Em Belém, na Judeia, pois assim foi escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, de modo algum és a menor entre as principais cidades de Judá, porque de ti sairá um chefe que vai ser o pastor de Israel, o meu povo”.

Então Herodes chamou em segredo os magos e procurou saber deles cuidadosamente quando a estrela tinha aparecido. Depois os enviou a Belém, dizendo:

“Ide e procurai obter informações exatas sobre o menino. E, quando o encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-lo”. Depois que ouviram o rei, eles partiram. E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até pairar sobre o lugar onde estava o menino. Ao verem de novo a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande. Quando entraram na casa, viram o menino com Maria,sua mãe. Ajoelharam-se diante dele e o adoraram. Depois abriram seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra. Avisados em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram para a sua terra, seguindo outro caminho.    “”

..................................................................................

Na atualidade, pouco restou das tradições do chamado Dia de Reis, em que a celebração litúrgica vinha enriquecida também, indiretamente, pelo folclore das congadas. Antigo feriado religioso.

Como todas as celebrações perderam a exatidão de suas datas, transferidas sempre para o domingo, passam também um tanto despercebidas.

Na Igreja, essa festa toma o nome de Epifania do Senhor.

A comemoração da manifestação de Deus aos homens. O anúncio da vinda do Salvador.

Surpreende que o Rei dos céus e da terra, do Universo enfim, surja Ele de modo tão simples e quase miserável. Que rei é esse, rejeitado até nas hospedarias?

Conforta por isso mesmo o saber-se que um Rei verdadeiro existe e não se vincula a prazeres nem luxo e apenas ama e se condói de todas as criaturas. Veio para todos, mas principalmente para os pequenos, sofredores, injustiçados e perseguidos.

Outro pormenor que o diferencia de todos: está invariavelmente presente, ao lado de cada ser humano. Não visível a olhos humanos, sabe-se pela fé que anda por perto, às vezes até um pouco atrás, quando se teima de seguir por caminhos ínvios da descrença e do pecado. Tampouco nessa hora Ele está distante.

Preste atenção, ao lado ou um passo atrás, que o sentirá por perto, disposto ao abraço reconciliador de quem queira a Ele voltar.

Abrace-o, ao Deus menino.

                                                            João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio