Colunistas

Publicado: Terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Dia após dia

Dia após dia

Dia após dia é o sistema natural de como a vida transcorre para todos e cada um a buscar como situar-se melhor, dentro de suas condições.

A partir desse fato, constitui-se pois o fenômeno a que se atribui classificar como sociedade. As pessoas a viverem a sós e coletivamente, muitas com objetivos claros, bem sucedidas e muitas também que, por esta ou aquela razão, se debatem em meio a dificuldades de toda ordem. Um conglomerado humano, pois, heterogêneo.

Banal, mas interessante, que ocorra neste momento, o nome de um badalado filme estrelado por James Dean, se enganado eu não estiver: Assim caminha a humanidade.

O país emerge de uma eleição em que novos ocupantes tomam a condução das cidades, a maioria sem experiência anterior e algumas até por reelegerem seus prefeitos. Neste último caso, faria supor que os cidadãos estariam satisfeitos com o mandatário, o que entretanto raramente se constata. A verdade é que, num e noutro caso, os brasileiros nada sabem dos bastidores e quase tudo é uma incógnita.

Para exemplificar numa visão ampliada, também não faz tempo que os brasileiros elegeram deputados e senadores. Foi outro dia. E olhem só, entre novatos e reeleitos, o que esses personagens estão a fazer...

Dessas breves considerações, fica a sensação de que neste país a mole humana se conduz às tontas e a regra primeira, acima inclusive das normas rígidas da Constituição brasileira, vige o princípio básico do “salve-se quem puder”!

Daqui do meu escritório, ouço os ruídos todos exteriores, de que o trabalho existe, a luta é contínua, veículos de todos os tipos lotam as ruas e que, assim, cada um e todo mundo se esforçam por melhorar. A duras penas.

Nesse instante então, como se fora num clamor desesperado, é que se lamenta porque no fundo haveria recursos e bem estar ao alcance de todos, mas muitas esperanças, não obstante as pseudo revoluções, rolam por água abaixo, consumidas por uma comezaina endoidecida de que se apoderam eles, os políticos, até pouco tempo impunemente.

Cícero bradara no Forum romano: Quosque tandem Catilina abutere patientia nostra...

De fato, até quando esses arrogantes vão permanecer impunes...

Começa o ano de 2017.

Comentários

Minudências

Bernardo Campos

Bernardo Campos

Jornalista e advogado. Alma de cronista, colhe impressões das pessoas, dos fatos e dos costumes. Daqui e do mundo.

Arquivo

6 dias atrás

Croniqueta

26 de abril de 2017

A água, generosa

20 de abril de 2017

Reze por elas

17 de abril de 2017

Palpite, mero palpite