Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Desenvolva A Plasticidade De Seu Cérebro

Crédito: O aprendiz em saúde Desenvolva A Plasticidade De Seu Cérebro
Exercite seu cérebro

                                                                               Busque Novos Conhecimentos

Quando somos crianças a nossa vontade de aprender coisas novas, a busca pelo novo, pelo diferente, é constante. Os desafios, o difícil dá até água na boca! Aposto que agora mesmo, enquanto lê, flashes diversos de sua infância vêm à mente! Lembra daqueles momentos que nossos pais diziam: “Não faça isso! É perigoso! ” – “Você não vai conseguir, é muito difícil! / Você não sabe! ” O que geralmente acontecia? Nós fazíamos e, na maioria das vezes, conseguíamos!

Infelizmente, com o tempo, conforme vamos nos tornando adultos, criamos bloqueios mentais limitadores. Às vezes ‘imposto’ pelo ambiente em que vivemos, pela sociedade ou por nós mesmos. É como se nós fôssemos enferrujando, na verdade, nosso cérebro para ser mais específico. Os pensamentos, a atividade cerebral, as conexões neurais em si, denominadas ‘sinapses’, vão se tornando mais lentas, a frequência e velocidade dessas conexões diminuem ao longo do tempo.

                                                                                E o que podemos fazer para evitar esse ‘endurecimento’?

A palavra que responde essa pergunta talvez seja estranha ou desconhecida para alguns. Eu mesmo vim a conhecê-la há uns três anos. A resposta é NEUROPLASTICIDADE ou PLASTICIDADE CEREBRAL. Estes links vão clarear sua mente e traduzir o significado desses termos.

Desde pequenos, nós somos estimulados a praticar atividades físicas para o desenvolvimento do corpo como um todo: organismos, músculos, membros. E também da mente. Tenho 99,9% de certeza que você já começou a frequentar uma academia todo(a) animado(a), treinava de três a cinco vezes na semana e sentiu a diferença. Porém, após um período, deixou de ir. Quando resolveu voltar teve a impressão de que nunca havia entrado em uma academia ou praticado qualquer tipo de exercício. Embora o cérebro não seja um músculo, a analogia cabe muito bem aqui.

Não importa onde esteja, seu ‘pouco’ tempo disponível, sua idade ou qualquer outra desculpa. Seu cérebro, sua atividade cerebral/mental tem que ser constante, não pode parar, caso contrário a velocidade das conexões diminuirá progressivamente, podendo até chegar à atrofia e pane. Não é exagero!

É aí que tocamos no ponto ‘X’ da questão: Plasticidade Cerebral. O simples fato de fazermos um caminho diferente de casa para o trabalho ou vice-versa já é um exercício que ativa novos conhecimentos, novas conexões e sinapses, abrindo caminhos neste magnífico órgão.

“Os novos conhecimentos estão no centro da plasticidade e um cérebro modificado é talvez a manifestação mais tangível que ocorreu na aprendizagem de novos conhecimentos, possível pelo ambiente. Os novos conhecimentos são adquiridos de várias formas, por muitos motivos e a qualquer momento de nossas vidas. Por exemplo, a criança adquire novos conhecimentos em grandes quantidades e seu cérebro é modificado significantemente nesses momentos de aprendizagens intensivas.”

Esta máquina que controla nosso sistema nervoso central estará sempre apta a qualquer mudança, desde que seja estimulada, até pelos fatos mais insignificantes, por exemplo: usar a mão contrária para mexer no mouse ou escovar os dentes, assistir filmes com legenda na língua original, vestir-se de olhos fechados, fazer contas à moda antiga, sem usar calculadora, entre outros.

Quanto mais cedo começar, melhor! É imperativo nunca parar!!

#plasticidadecerebral #neuroplasticidade #exerciteseucerebro #cerebroemforma 

Comentários

Criando Consciência

Rafael Ramires

Rafael Ramires

Jornalista formado pela Faculdade Prudente de Moraes (FPM), trabalhou em diversos veículos da cidade, região e capital. Atualmente é coach e atua como assessor de imprensa e desenvolvedor de marketing digital para empresas.

Arquivo