Colunistas

Publicado: Sábado, 18 de fevereiro de 2017

Desaforos, enterre-os todos

Desaforos, enterre-os todos

 

 

7º. DOMINGO DO TEMPO COMUM

19.02.2017 – Verde – Ano “A” – São Mateus

Evangelho (Mt. 5, 38-48)

...............................................................................................................................

“”    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:

“Vós ouvistes o que foi dito; ´Olho por olho e dente por dente!´

Eu, porém, vos digo, não enfrenteis quem é malvado!

Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda!

Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto!

Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele!

Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado.

Vós ouvistes o que foi dito: ´Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!´ Eu, porém, vos digo, amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! Assim vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons e faz cair a chuva sobre justos e injustos.

Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa?

Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.

...............................................................................................................................

Num primeiro momento, a sensação de uma leitura tão fremente do evangelho de hoje, causa a maior estranheza. Eis que sugere o oposto da conduta considerada normal em tempos de agora, ou seja, de que se abram os olhos para que terceiros não nos enganem nem ameacem. Sejamos espertos.

Natural que a gente estranhe, por se ver convidado a um comportamento tão ingênuo.

Mas é bem assim que Jesus, numa direção inversa e sem revogar o texto antigo, abre caminhos de que sobretudo a paz reine entre todos, numa ordem e sequência que privilegiam o amor.

O novo testamento busca amenizar a rudeza do antigo.

Daí conter normas diferenciadas, a insistir no bom relacionamento entre os filhos de Deus.

E vai Jesus então ao extremo de pontificar que sejamos todos perfeitos, como o Pai o é.

Entretanto, soa difícil, se não impraticável, falar de amor no mundo contagiado pelo mal e mesmo assim seguir normas como as acima preconizadas.

Um dos versículo aí de cima, no entanto, ajuda, no sentido de conciliar o empenho de uma convivência humana de amor, quando afirma que se amarmos somente aqueles que nos querem bem, que recompensa disso se poderá esperar.

O mero revide a injustiças impostas por malvados, de certo modo iguala a todos. Nivela-os por baixo.

Cuidar-se, pois,  de evitar esse contágio infesto, nisso reside o cerne da mensagem do evangelho de hoje.

Cuide-se pois, tanto quanto possível, de que sejam enterrados possíveis dissabores, tal como se não tivessem acontecido.

E tudo isso em nome de Jesus, para o bem de todos.

A oração confiante é também senda segura para o alcance de nobres objetivos.

                                                                                                                                                                       João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

20 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio