Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Depressão o mal do século

Depressão o mal do século

Em todo o mundo estima-se que mais de 300 milhões de pessoas sofram de depressão, sendo as mulheres as mais afetadas. Ainda não há uma explicação satisfatória que nos indique a causa de mulheres serem a maioria, há teorias que apontam para o fato de homens não buscarem ajuda ou negarem que estão sofrendo, o que matematicamente colocaria as mulheres no topo da lista. Os tratamentos vão desde acompanhamentos psicológicos, psíquicos até medicamentosos. Também estima-se que menos de 10% das pessoas realizam tratamento adequado, ou seja, elas tem o diagnóstico, fazem acompanhamento por um curto período e depois abandonam.

Até 2020 a depressão será o transtorno mais incapacitante do mundo e no Brasil 75 mil pessoas foram afastadas do trabalho entre 2016 e 2017 por depressão, segundo os últimos dados da Organização Mundial de Saúde.

Diante desses dados é importante fazer uma diferenciação nos métodos de tratamentos e acompanhamentos, a medicina ou Psiquiatria lida com a depressão de maneira geral pela via medicamentosa, que apesar de receber muitas críticas por isso é sim necessária quando o quadro é severo, devemos lembrar que depressão pode levar ao suicídio. Mas é necessário ir além disso para não tornar-se dependente de medicamentos, há uma série de efeitos colaterais que a longo prazo afetarão a vida de quem os toma. Entendamos então o acompanhamento feito pela Psicanálise, falar em cura da depressão requer um certo aprofundamento e cuidado, apesar de ser um transtorno ou patologia não estamos lidando com um vírus ou bactéria. Estamos falando de algo que é subjetivo, o Psicanalista escuta a depressão, escuta o depressivo e trabalha para que a pessoa possa fazer alguma coisa com esse sofrimento e assim sair dele, mas há situações onde essa depressão é crônica, e a pessoa terá que lidar com ela o resto da vida e aí sim a Psicanálise pode ser mais interessante ainda, pois possibilita ao sujeito incluir aquilo que tem de estranho em si, nas suas rotinas, mas não para conformar-se, e sim para com isso fazer algo de criativo.

Exemplos não faltam, tenho analisando que após certo período de análise começou a produzir poemas para expressar esse sofrimento e acabou dando vazão e voz para essa dor, sua criatividade já lhe rendeu publicações. Para exemplificar, outro caso, a analisando deu inicio a pinturas de telas, encontrou uma forma de expressar na arte aquilo que não conseguia expressar na fala.

Mitos sobre a depressão

Depressão não é frescura ou falta de Deus, o transtorno não está ligado a fé, pessoas de variadas crenças são acometidas, assim como lideres religiosos e representantes de credos variados. Ainda há quem diga que depressão é falta do que fazer, falta de trabalho, esta afirmação não faz o menor sentido visto que o principal motivo de afastamento do trabalho no Brasil é a depressão, ou seja, não é falta de trabalho pois estão trabalhando e ainda sim apresentam o quadro. E depressão também não é sinônimo de tristeza, é um erro pensar no depressivo como alguém triste. Tristeza é um sentimento, é passageira, faz parte do cotidiano, depressão é transtorno psíquico, uma patologia e como tal requer nossa mais precisa atenção.

 

Comentários

Rota da Psicanálise

Darci Martins

Darci Martins

Psicanalista, com atuação clínica em Itu. Além de atendimento clínico, desenvolve e realiza palestras e cursos. Graduado também em Gestão Ambiental. Técnico em Cinema durante nove anos. E sempre em busca de conhecimento com foco em excelência.

Arquivo

21 de janeiro de 2019

Depressão o mal do século

15 de setembro de 2018

O quê é transtorno de pânico ?

3 de agosto de 2018

Sonhar é preciso