Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 14 de março de 2016

Democráticos, Si, Pero No Mucho

Democráticos, Si, Pero No Mucho

Alguns canais de imprensa, agências de notícias, membros de diversos movimentos políticos e sociais, além de pseudo intelectuais de esquerda, estão criticando os protestos de ontem, caracterizando pejorativamente seus participantes como "coxinhas", "pequenos burgueses", "classe média criada a danoninho", entre outros adjetivos nada amistosos.

Pra esses indíviduos, os membros das chamadas (muitas vezes erroneamente) classe média ou "dominantes" não tem gabarito, respaldo, inteligência ou sequer direito de protestar. Para eles, os que consideram como as tais "elites" não podem ser classificadas como "povo" e, por isso, seus apelos, anseios e necessidades são menos legítimos do que da classe mais "pobre".

Repare que as mesmas pessoas que apontam o dedo na sua cara e te criticam por ter ido protestar por seja lá quais motivos você considerava legítimos, são as mesmas pessoas que defendem a "democracia" e o "estado de direito". Por alguma razão, essas pessoas acham que você suas reclamações são menos legítimas porque, em suas mentes limitadas, você goza de privilégios que, na verdade, nunca deveria ter tido. No fundo, eles não querem que o pobre ascenda, mas que a classe média afunde.

Perceba que os mesmos indivíduos que julgam seus supostos privilégios, curiosamente, defendem a manutenção dos privilégios pra determinados grupos políticos ou membros de alguns partidos ou vertentes ideológicas. Critérios que te tornariam um criminoso nos olhos dessas pessoas, de repente, são privilégios merecidamente conquistados por aqueles que realizaram "grandes feitos em prol do povo". Os outros merecem casa na praia e carro importado, mas você não, pois você não atende os obscuros pré-requisitos que essa gente exige pra te considerar um deles.

Amigo, não tema. A democracia é pra todos. Seja lá quais forem suas razões, você merece gritar e ser ouvido. E digo mais: se uma parcela considerável da população clama por mudanças, alguma coisa, de fato, precisa mudar. Chamar de "massa de manobra", "manipulados pela imprensa golpista" ou acusar o protesto de "falta de legitimidade" não apenas é anti democrático, mas absurdamente hipócrita.

Comentários

Papo Cabeça

Rafael Cavacchini

Rafael Cavacchini

Empresário, romancista, redator, crítico político e antropólogo. Escreve utilizando linguagem ácida e direta, sem abandonar a ética nem apelar pra demagogia desnecessária.

Arquivo