Colunistas

Publicado: Sábado, 25 de junho de 2016

De corpo e alma

De corpo e alma

 

13º. DOMINGO do TEMPO COMUM

26.06.16 – Liturgia do Ano “C”, de Lucas

Evangelho (Lucas, 9, 51-62)

...............................................................................................................................

“”    Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu.

Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém e enviou mensageiros à sua frente.

Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, para preparar hospedagem para Jesus.

Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia para Jerusalém.

Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram:

“Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?”

Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os.

E partiram para outro povoado.

Enquanto estavam caminhando, alguém na estrada disse a Jesus:

“Eu te seguirei para onde quer que fores”.

Jesus lhe respondeu:

“As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”.

Jesus disse a outro:

“Segue-me”.

Este respondeu:

“Deixa-me primeiro ir enterrar meu pai”.

Jesus respondeu:

“Deixa que os mortos enterrem seus mortos; mas tu, vai anunciar o reino de Deus”.

Um outro ainda lhe disse:

“Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos meus familiares”.

Jesus, porém, respondeu-lhe:

“Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o reino de Deus”.    “”

...............................................................................................................................

Na semana anterior, 19.06, 12º. Domingo, Jesus preconizava que a salvação fora dele não seria possível e que, nesse caso, que cada qual tomasse da própria cruz e seguisse seus passos.

De rigor, a ênfase é a mesma.

Tanto é assim que, neste evangelho de agora, continuação direta daquele (capítulo 9), vai-se ao ponto de afirmar que o enterro de um pai ou a despedida de familiares para segui-lo, tudo é de menor urgência. À primeira vista e diante

dos costumes modernos, dois absurdos.

Transposta a afirmativa tácita do Mestre para hoje, seja válida a interpretação serena enfim de que realmente não há como pisar em duas canoas.

Jesus Cristo, assumido de corpo e alma e especialmente com o coração, há de ser o norte, a concentração e o fim principal do homem na vida moderna. Paralelamente, há de correr a vida pela sobrevivência e afeto aos irmãos, aos semelhantes, aos próximos e distantes, pois com essa ótica é que se atende plenamente aos ensinamentos de Jesus.

Amar o próximo.

Eis que cumprido à risca e sinceramente esse mandamento, Jesus é servido.

Por isso, a toda hora e a todo momento, que a Inteligência, os gestos e o convívio da sociedade atual, estejam assim pautados.

Amém.

                                                                                                                                                                                                                                           João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio