Colunistas

Publicado: Sábado, 21 de março de 2009

Das revoltas implacáveis

Ânimos.
Flores!
Peles!
Escrevemos algumas coisas e não lemos.

Temos umas varias gavetinhas feitas somente para arquivar coisas deste tipo. Falamos muito sobre o que nem pensamos, e falamos muito sobre o que muito bem pensamos. E gavetinhas alheias pegam cuidadosamente estes formulários em papel timbrado, e guardam, ou reivindicam, ou seja, lá o que fazem, mas assimilam a ideia do que foi dito!

Racionalizar algum sentimento é coisa de mestre, sacada de malandro, e muitos 'empresários' não possuem esse tino. Muitos se sentem grandes e poderosos apenas por sustentarem uma superfície brilhante de falsas verdades, mas são pessoas vazias!  Muitos não sabem como cuidar da liderança da própria vida - não existe autonomia, não existe base.
O tino.
O tato.
A prudência.
É inerente a experiência! Ou não!
É associado a equilíbrio! Ou não!
É relacionado a estrutura intelecto-gastro-intuitivo-psicologica! Ou não!

Muitos fracassos começam quando se busca o culpado! O fracasso deles em delegar culpas, para ter mais tempo livre!

Mas o culpado nunca aparece, apesar de ser buscado com o afinco de um solteirão que “precisa” de casamento!
Pensa só? E com muito custo alguma suspeita acontece!

(E acontece algo do gênero sempre que a lua vai embora e o sol aparece no céu)
As mais altas cadeiras do reinado isentam-se da culpa, e declaram:
_Procurem entre vocês os culpados.
E então, o culpado não sou eu, nunca, e nem o meu amigo, o meu amigo é parceiro e ele sempre foi gente boa comigo! De manhã tomamos café e ele sempre tem uma piada divertida - mas, parece que tem alguma coisa no ar, não é, amigo? Parece que tem coisa feia pegando!
_Cara, numquero nem vê, mas se 'cê vê alguma coisa 'cê me conta!
(E então a lua reaparece, e então o sol reaparece, e então a lua aparece de novo).

Muitos por ai não estão atinando! Diz-se daquele que mente (maomenos parafraseando), que mente tão completamente, que pensa até não ser mentira aquela mentira que, deveras, mente!

Estamos fartos. De mentiras o mundo e o meu bolso já estão cheios!

"Atenciosamente"
Comentários

Singular

Lu Longarez

Lu Longarez

Como muitas coisas acontecem de um momento pensante para outro, começou a escrever num intervalo destes. E os intervalos continuam... Estudante de Letras, linhas e entrelinhas.

Arquivo

17 de maio de 2010

Dá uma moeda aí, Senhor?

8 de março de 2010

Sozinhos

18 de janeiro de 2010

Sobre o equilíbrio

15 de novembro de 2009

Atenções

14 de outubro de 2009

Sobre estagiar