Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 17 de maio de 2010

Dá uma moeda aí, Senhor?

Depois que o sol vai embora e a ausência de luz transforma o coração das pessoas em pequenos faróis, onde os olhos, atentos, cuidam do corpo e em sua volta para que a sombra não nos assuste... Em toda noite, quando a lua avisa, fraquinha, que está ali conosco, percebemos de pronto aqueles pequenos olhares em nossa direção.

Olhares sem rumo, talvez, olhares afetados e sem esperança, olhares com alguma malícia ou talvez certa indiferença... olhares que nos apresentam a nacional questão:

_ Tio, dá uma moeda aê?

Em algum momento, em qualquer esquina, encontramos pequenos corpos com pés descalços, cujas oportunidades e desafios apresentam-se de maneira confusa e ingrata.

Nossa cidade parece vivenciar essa situação recentemente – ou isso, ou há muito tempo eu não tinha a oportunidade de passear pelas ruas centrais de Itu em um sábado e domingo enquanto a noite se inicia!

Pela logística econômica psicológica estatística pedagógica socialmente compreendida quanto a situação, lembramos que existe a ligeira intensa tendência de que isso aumente cada vez mais! Em outras cidades aconteceu assim, leitores... e, sendo recente, a facilidade em poder cuidar do aspecto deste aspecto é maior.

- Pode não ser perigoso, mas em algum momento pode ser!

- Fere a imagem da cidade, pelo notável aspecto triste, e os pormenores diversos decorrentes disso...

- Será que essa situação recepciona bem os nossos turistas? Será que se sentirão confortáveis para outro anoitecer ituano?

Nos expliquem, por favor... o que podemos fazer? O quê podem fazer por nós e por eles? Como funciona? Onde podemos esperar e solicitar providências reais, sem maquiagens ou disfarces!

Não parece adequado que estas pessoas se sujeitem a isso aqui diante de nossos olhos, em nossa morada, bem como não parece simpático que qualquer pessoa seja colocada diante dessa situação sempre que volta para seu veículo!

Comentários

Singular

Lu Longarez

Lu Longarez

Como muitas coisas acontecem de um momento pensante para outro, começou a escrever num intervalo destes. E os intervalos continuam... Estudante de Letras, linhas e entrelinhas.

Arquivo

17 de maio de 2010

Dá uma moeda aí, Senhor?

8 de março de 2010

Sozinhos

18 de janeiro de 2010

Sobre o equilíbrio

15 de novembro de 2009

Atenções

14 de outubro de 2009

Sobre estagiar