Colunistas

Publicado: Sábado, 22 de outubro de 2016

Carmem

Crédito: Marcos Alves Carmem
Escultura de Tomie Ohtake

Carmem Fechou o jornal, limpou a bunda e saiu do banheiro ajeitando a cueca dentro da calça: "Vamos logo pois se chegarmos atrasado já vira chacota na outra semana, Carmem. Eles fazem história com tudo. Não sei como conseguem tirar piada de qualquer coisa". Ela calçou-lhe o sapato com força, estourando a bolha que nutrira o dia todo. O homem se fez criança mimada num gemido alto, fechando os olhos e se jogando para trás na cama: "Caralho! Quer me matar? Agora como vou ficar em pé a noite inteira naquele foyer aguentando o povo chato? Porra! Eles começam a falar e não param mais, Carmem. Você está com a mão pesada, hein!". Ela sorriu cabisbaixa, comendo os próprios lábios. "Vá! Deixe que eu me arrumo sozinho... Cadê a gravata amarela?". Mais tarde, chegaram com o anfiteatro sentado, foram levados até a primeira fila e se acomodaram. O mestre de cerimônias chegou ao microfone e deu início aos trabalhos: "Boa noite. Convidamos para a abertura oficial do evento, a excelentíssima prefeita Carmem".

Comentários

Conto... ou não conto?

Alex Pinheiro

Alex Pinheiro

Consultor em Turismo Receptivo e Turismo na Internet, exerce na literatura o seu desafio pessoal '1000 caracteres de uma história'. É colunista do jornal Taperá (Salto-Itu-Indaiatuba)

Arquivo

8 de outubro de 2018

Eles Sabiam de Tudo

5 de outubro de 2018

Urna Funerária

8 de agosto de 2018

Estrada

9 de julho de 2018

A ditadura do aroma

28 de maio de 2018

La Ciudadela