Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Cão que não late

Crédito: Internet Cão que não late
Cão que não late: morde ou não morde?

O dito popular ensina: cão que late, não morde.

E quando o cão não late? Será que não morde também?

Nas minhas muitas caminhadas por muitos lugares, vira e mexe me deparo com cachorros. A maioria deles está atrás de uma grade, na casa onde estão abrigados. Quando passamos em frente, eles latem bastante. O recado mandado é que são os protetores daquele local, os guardiões daquele terreno.

Mesmo quando o cão está solto na calçada, costuma latir. É uma forma de advertência e parece que ele é muito corajoso. Na verdade o latido é um subterfúgio. O cachorro pretende nos afastar somente com o barulho, pois não quer nos atacar. Em seu íntimo ele tem mais medo de nós do que nós dele. Prova disso é que basta um movimento brusco da nossa parte para o cão recuar, mesmo que continue bradando seus latidos.

O problema é quando o cachorro não late. A gente vai se aproximando, ele vai nos seguindo com os olhos e não dá nenhum latido. O que estará pensando? Seu silêncio está nos reservando uma má surpresa? Melhor não dar moleza, manter o passo sem demonstrar medo ou desconfiança. Suportar o silêncio canino ensurdecedor e fingir que nem está pensando numa possível mordida.

Enquanto os cães ladram, a caravana passa.

E quando os cães não ladram a gente vai passando também.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo