Colunistas

Publicado: Sábado, 13 de outubro de 2018

Bens terrenos

REFLEXÃO DOMINICAL – 14.10.2018

28º. Do Tempo Comum – Ano B de Marcos

Evangelho (Mc. 10, 17-27)

........................................

 

“”    Naquele tempo, quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele e perguntou:

“Bom mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?”

Jesus disse:

“Por que me chamas de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe!”

Ele respondeu:

“Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude”.

Jesus olhou para ele com amor e disse:

“Só uma coisa te falta; vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!”

Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico.

Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos:

“Como é difícil para os ricos entrar no reino de Deus!“

Os discípulos se admiravam com essas palavras, mas ele disse de novo:

“Meus filhos, como é difícil entrar no reino de Deus! É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus!”

Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso e perguntavam uns aos outros:

“Então, quem pode ser salvo?”

Jesus olhou para eles e disse:

“Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus, tudo é

possível”.

.......................................

 

Hoje, de novo, a liturgia deixa ao critério dos fiéis servirem-se dos versículos de 17 a 30, do capítulo 10 de Marcos, ou a forma reduzida, com os versículos de 17 a 27, esta pois adotada  nesta reflexão.

Um texto desafiador, que vai muito além dos objetivos e critérios de ligeiras e humildes indicações, dentro do propósito desta coluna.

O enunciado esclarecedor dos caminhos propostos ao jovem rico, que buscava aprimoramento de sua espiritualidade, na verdade o entristecera. E seja de se notar que, não obstante a rudeza das indicações, Jesus olhara para ele com amor!

No mais, debalde repetir mais e mais vezes, um enunciado de tanto rigor e dureza, do qual Jesus nada amainou e que levaria em princípio à reflexão primeira e sincera de que a poucos, muito poucos mesmo, difícil renunciar a tudo para perfilar-se alguém, como mais um verdadeiro seguidor do Mestre.

Sim, é pensar e refletir muito ...,

Contudo, não se prenda ninguém a uma possível desesperança e confie na expressão final do mesmo Jesus, de que para Deus nada é impossível.

Numa conclusão assim bem plausível, enfim, é de muita relatividade mesmo acumular riquezas, eis que, na prática, quanto maiores, mais distantes se situam diante da serenidade e aconselhamento do Mestre.

Bens terrenos, passageiros sobretudo.                                                                                     

                                                                                                                                                                                                       João Paulo

 

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

20 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio