Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 1 de junho de 2007

Belarmino

Belarmino era um preto velho que vivia em uma fazenda onde nascera há quase cem anos, fora escravo e depois da abolição, assalariado.
Servira quatro gerações dos Mesquitas e agora, já bem velhinho, era muito estimado, principalmente pelas crianças que estavam sempre ao seu redor.
Muito religioso, passava a maior parte do tempo com o terço na mão, rezando, e as crianças pediam a ele:
- Belarmino reza dez Aves Maria pra Santo Antônio que eu prometi.
- E por que você mesmo não reza? A promessa é sua e o Santo não vai ficar contente se eu rezar por você.
- Você diz pra ele que eu estou muito ocupado, com muita lição pra fazer...
O outro lembrava:
- Reza pra gente encontrar a bola que perdemos no quintal.
- Você pensa que o Santo não tem mais o que fazer que procurar bola de moleque?
Mas você lembra a ele que faz tempo que eu não peço nada.
A menina aproveita e pede:
- Reza par Santa Clara fazer passar a chuva.
- Mas que é isso, menina, Você não sabe que a chuva é necessária? Se não chover as plantas morrem e vai faltar até água para beber.
- Então você pede a ela que só deixe chover de noite quando a gente estiver dormindo.
O outro garoto chega meio ressabiado:
- Reza pro meu pai não descobrir que eu tirei dinheiro da carteira dele.
- Imagine só se Santo vai proteger menino ladrão. É bom mesmo que ele descubra e lhe dê uma sova.
- Não diga isso! Se você rezar eu prometo que nunca mais faço isso.
E assim o velho não dava conta de rezar tudo o que os meninos pediam.
As crianças gostavam de ouvi-lo contar histórias.
Mas eu já contei todas as histórias que sabia.
Inventa mais uma!
A cabeça do nego veio já está ficando pirada de tanto inventar histórias.
- Mas...
-Tá bom! Amanhã eu conto uma história do tempo dos escravos. A história do Buscapé.
- Conta hoje!
- Não! Já está na hora de vocês dormirem e o nego também está com sono.
- Até amanhã!
Comentários

Os contos da Maith

Maith

Maith

Escritora amadora, apelidada carinhosamente de bisavó blogueira. Vive em Sorocaba.

Arquivo

30 de abril de 2012

Um rosto barbado

23 de abril de 2012

O ovo da Páscoa

16 de abril de 2012

Pode me chamar de Judas

9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

2 de abril de 2012

Flores da minha vida