Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 20 de maio de 2016

Beauvoir e Sartre: Dupla Indecente

Crédito: Internet Beauvoir e Sartre: Dupla Indecente
Beauvoir aliciava menores para seu amante Sartre.

As feministas de plantão adoram o par romântico formado por Simone de Beauvoir e Jean Paul Sartre. Ambos são nomes proeminentes da Filosofia moderna. Porém, o mesmo tanto que tinham de genialidade acadêmica tinham também de indecência moral no campo sexual.

As feministas romantizam o casal Simone-Jean. Há até um filme nesse sentido. Algo contraditório, não é mesmo? Afinal as feministas são contra tudo o que é estabelecido "forçadamente" pelos conceitos machistas e patriarcais da sociedade.

No campo dos relacionamentos o Feminismo também se revela uma falácia gigantesca. Feminista de verdade não gosta de se prender a um homem, jamais pensa na hipótese de dividir o mesmo teto com um macho. Presa sobretudo a independência, financeira e sexual. Tudo deve ser casual. Namorar, noivar e casar então? Jamais! Coisa da burguesia machista-patriarcal.

Feminista apaixonada e ligada a um macho-alfa é algo inconcebível para o movimento, pelo menos em teoria. Mas a natureza grita: na hora de falar de Beauvoir e Sartre, derretem-se com um dos únicos e borrados modelos de romantismo que podem ter. Nem mesmo a ideologia feminista consegue ser mais forte que a realidade de que homens e mulheres completam-se mutuamente.

Simone e Jean Paul formavam uma dupla perversa. A pedófila caçava meninas para se relacionar. Depois de abusar bastante delas, passava-as para o amante, pedófilo também. Crianças de 11 a 14 anos eram coagidas, constrangidas e forçadas a formar com eles um trio na cama.

Depois que abusavam da vítima por certo tempo, Beauvoir e Sartre simplesmente a dispensavam, cortando de vez qualquer laço de convivência ou de afeto que pudesse existir. Mas vale lembrar: pessoas com esse nível de imoralidade não possuem sentimentos de verdade, desejam apenas satisfazer suas vontades doentias...

Simone de Beauvoir desceu ao mais baixo do que a humanidade pode produzir no campo da imoralidade sexual. Na prática ela escolhia algumas de suas alunas para aliciar, preparando-as para seu amante. Passava um tempo relacionando-se com as vítimas e depois as entregava para que Sarte lhes tirasse a virgindade. E ainda há quem consiga idolatrar tipos com atitudes dessas!

Essas e outras baixarias do casal mais indecente que o Feminismo possa idolatrar podem ser infelizmente conferidas na obra "Uma Relação Perigosa", da pesquisadora Carole Seymour-Jones, publicada no Brasil pela Editora Record. Recomendo vivamente esta leitura para as feministas de plantão, com o objetivo de que talvez possam admirar pessoas de melhor índole...

Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo