Colunistas

Publicado: Domingo, 15 de novembro de 2009

Atenções

Uma atenção quase sempre não solicitada.
Uma atenção desgarradamente apressada.
Uma atenção lenta, descompromissada.
Uma atenção solitária, acompanhada.
Uma atenção que não carregue culpa.
Uma atenção que receba atenção, que aceite atenção como a que preciso.
Uma atenção sorrateira de quem vem por trás e coloca as mãos em nossos olhos para descobrirmos quem é!
Uma atenção de mensagem que fica gravada por anos.
Uma atenção precisada de silêncio, omissa da própria atenção, mas consciente.
Clara.
Íntegra.
Inteira.
Inteira, em suas parcelas tão ínfimas.
Pequenas.
Pequenas.
Pequenas.
Uma atenção de desculpas e maior ênfase nos bons tratos e palavras de cordialidade – eternas.
Uma atenção simples.
Tão simples.
Mas tão simples, que toma café com leite em copo americano, de manhã, na padaria.
Uma atenção.
Pedimos muito sem pedir?
Pedimos pouco e nada queremos?
Nada esperamos?
Esperamos por pouco.
E quase sempre nunca chega.
E outras atenções que nunca saem de dentro de nós.

Comentários

Singular

Lu Longarez

Lu Longarez

Como muitas coisas acontecem de um momento pensante para outro, começou a escrever num intervalo destes. E os intervalos continuam... Estudante de Letras, linhas e entrelinhas.

Arquivo

17 de maio de 2010

Dá uma moeda aí, Senhor?

8 de março de 2010

Sozinhos

18 de janeiro de 2010

Sobre o equilíbrio

15 de novembro de 2009

Atenções

14 de outubro de 2009

Sobre estagiar