Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 4 de agosto de 2010

As promoções de torpedos

As promoções de torpedos

Não consigo me acostumar com essa história de enviar torpedo pras pessoas. Que idéia mais cretina. Torpedo?! Aí lembrei que quando a gente vai bem a gente mata a pau; um time bom é um esquadrão; bom desempenho é detonar; ir muito bem é estraçalhar; mulher feia é canhão; um cara forte é um tanque; fracassar é levar pau; responder de bate-pronto é cair matando; um bom palpite é um tiro certo; ser determinado é ser batalhador; ter força de vontade é ser guerreiro; o líder do time é o capitão; más notícias caem como uma bomba; o objetivo é um alvo; um grupo de voluntários é o exército da salvação; num chute na trave a bola explode contra a trave; repetir de ano é levar bomba e a vida é uma batalha.

Fico imaginando um diálogo assim:

- Vamos jantar amor?

- Claro, agora estou ocupada, eu te mando um torpedo confirmando.

Ou então uma de pai para filho:

- Filhão, quando chegar manda um torpedo pro papai.

- Claro, com certeza.

Pode ser também uma de empregado pra patrão:

- Seu Adamastor, o relatório está atrasado, preciso dele para ontem. O que o senhor me diz?

- Pode ir tranqüilo, eu mando um torpedo pro senhor.

Imaginei uma campanha para o dia dos namorados:

- Envie um torpedo a quem você ama.

Ou uma promoção-bomba:

- Nesse natal, ganhe torpedos ilimitados.

Acho que uma campanha dessas arrasaria.

- Tenho uma má notícia: seu filho levou bomba. Mas fique tranquilo, tenho certeza que no ano que vem ele vai arrebentar.

Socorro, bandeira branca amor, não posso mais.

Comentários

O olhar de um nariz

Nando Bolognesi

Nando Bolognesi

Palhaço profissional e na vida. Fez parte do elenco dos Doutores da Alegria de 2001 a 2005. Trabalhou de 2005 a 2008, sempre como palhaço, com usuários de atendimento psiquiátrico. Faz parte do elenco do espetáculo de palhaços Jogando no Quintal.

Arquivo

27 de abril de 2012

Êxodo Rural

29 de março de 2012

Até tu, SESC?

5 de abril de 2011

A arte do desencontro V

28 de fevereiro de 2011

A arte do desencontro IV