Colunistas

Publicado: Domingo, 1 de novembro de 2009

As lições do mestre

Festa de Todos os Santos.
Primeiro dia do mês de novembro.
2009.
Liturgia correspondente ao 31º Domingo Comum.
Evangelho sobre as bem aventuranças, no dizer de Mateus, com os versículos de 1 a 12.
Capítulo 5.

“” Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e sentou-se.

Os discípulos aproximaram-se, e Jesus começou a ensiná-los:
“Bem aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos céus.

Bem aventurados os aflitos, porque serão consolados.

Bem aventurados os mansos, porque possuirão a terra.

Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.

Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão a misericórdia.

Bem aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.

Bem aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.

Bem aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.

Bem aventurados sois vós quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo tipo de mal contra vós por causa de mim.

Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus”.  “”

Um clássico das Escrituras, o Sermão da Montanha.

Além da profundidade e da riqueza espiritual, o texto bíblico e, aqui em especial, o do Novo Testamento, é sempre muito didático.

Consequência natural aliás, pois Jesus se acomodou num ponto mais elevado justamente para ensinar. Didático também porque, uma a uma, têm-se aí as bem-aventuranças e basta se faça a resposta cada um a si mesmo, de como age ou se encontra perante elas. 

Um exame de consciência, portanto, organizado, simples, objetivo.

Têm as pessoas habitualmente sentimentos simples, resistem às aflições por saberem que Deus propicia mais tarde o conforto?

Deixa-se a vaidade de lado e se procura com critério o bem, o bom e o certo, a igualdade entre todos?

Sabe-se perdoar? Há sinceridade e pureza no coração no afã de todos os dias?

Busca-se a paz para si e para os outros? Sabem dosar-se de paciência e resignação, caminho direto para os céus?

Injuriados, perseguidos, vítimas de mentiras, sobretudo se tal provação advém justamente de sua fé e crença em Jesus, conformam-se porque conscientes da recompensa maior na vida eterna?

São tantos, porém, os assaques insidiosos do averno que a fraqueza humana cai e cai de novo. 

É não desanimar.

Aos poucos, se assim se desejar, toma-se jeito e coragem e, isto, desde que se tenham sempre à mão os evangelhos, não como livros de adorno ou esquecidos e sim consultados.
Beber neles, avidamente, as lições do Mestre.

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio