Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Ao amar o próximo, a Deus se ama

XXXIV Domingo do Tempo Comum.

Novembro, 20  -  2011 – Festa de Cristo Rei.

Evangelho consoante Mateus.

Versículos de 31 a 46. Capítulo 25.

...............................................................................................................................

“”    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Quando o Filho do homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da te4rra serão reunidos em torno dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então o rei dirá aos que estiveram à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’. 

Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te visitar?’

Então o rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’

Depois o rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: “Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; eu  era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar’.

E responderão também eles: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome ou com sede, como estrangeiro ou nu, doente e preso, e não te servimos?’

Então o rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes! Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna”.  “”                 

...............................................................................................................................

Neste domingo, pois, acontece a festa de Cristo Rei. Toda Igreja a celebra.

No caso de Itu, particularmente, guarda-se ciosa tradição. Não com a mesma pompa de como acontecia nas décadas de cinquenta, sessenta, mas ainda assim a Comunidade Carmelitana continua a promover esse evento com muito carinho.

Relativamente ao evangelho reservado pela liturgia, naquele estilo peculiar às escrituras, de narrativas detalhadas e de frases repetidas, há que se ver e reconhecer com que insistência Jesus acentua que as relações humanas sejam estreitas.

Talvez ao homem, de modo geral, desde que ele próprio esteja bem, pouco se lhe dá em termos de solidariedade, ajuda e interesse pelos necessitados e desprovidos de recursos.

Quase a fugir do assunto, numa referência paralela, é curioso observar com que propriedade foi criada uma chamada para o programa “Prazer em conhecê-lo”, das noites de domingo, na RedeVida. Na abertura, a frase símbolo: “Para o homem, o maior espetáculo da terra ainda é o próprio homem”.

Tudo bem.

Fique pois o ensinamento, sempre repetido, de que perante Deus todos são

Iguais. E a forma perfeita do amor a Deus situa-se no amor de uns para com os outros.

                                                                         Joao Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

20 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio