Colunistas

Publicado: Sábado, 1 de maio de 2010

Ame sem medo

 Quinto Domingo da Páscoa.

Ainda se está com João.

Capítulo 13, 31-33ª.34-35.

.............................. 

“” Depois que Judas saiu do cenáculo, disse Jesus:

“Agora foi glorificado o Filho do homem, e Deus foi glorificado nele. Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo, e o glorificará logo. Filhinhos, por pouco tempo estou ainda convosco. Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, vós também deveis amar-vos uns aos outros. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros”.  “”

.............................. 

Um enunciado muito curto, a lei do amor.

Lei, porque emana de Jesus Cristo Nosso Senhor.

Ao se recomendar aos componentes da humanidade de todos os lugares e nações que um bom relacionamento pontifique entre eles, Jesus expende nessa afirmação o mesmo desejo de quando surgiu, ressuscitado, no meio dos discípulos e lhes desejou a paz.

Ora, ao se examinar o comportamento de povos entre si e de pessoas até da mesma cidade consigo mesmas, se não é a paz propriamente que se enxerga, assim é porque o amor ali não vige.

A espiritualidade como tal, em todos os credos, perdeu espaço para a competição e para a luta pela sobrevivência.

Muitos com pouco ou quase nada, e sobejo de tudo a terceiros, estes em acentuada minoria.

O que está errado em suma?

Erro, cegueira, desatenção, seja o que for, é prova da inexistência do amor acima de tudo.

Entretanto, há um recinto que ainda pode se considerar sagrado, a despeito de muita destruição já feita em torno dele: o lar.

Que pelo menos pais e filhos se amem. A existir esse reduto de amor na família, fora do seu âmbito direto e limitado, os contatos aos poucos poderiam se aprimorar.

É não perder as esperanças ...

 Ame sem medo, à moda sugerida por Jesus.

Experimente.

E verá que a prática do amor tem conseqüência matemática: paz.

Por último, ainda, pergunte-se a si mesmo: ao verem os cristãos de hoje entre si, todos os reconhecerão como discípulos do Mestre, porque demonstram amor uns aos outros?

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio