Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Ainda o começo da vida pública de Jesus

Não fosse fevereiro um mês atípico, seria hoje sua exata metade: dia 15.
Tem-se pela frente, pois, já, o 6º Domingo Comum.
Ano “B” da liturgia.
São Marcos.
 
Veja-se que há três semanas, se percorre o mesmo primeiro capítulo, que com os versículos de hoje, do 40 ao 45, ele se encerra.
Começo da vida pública de Jesus.
 
Eis o texto:
 
“ Naquele tempo, um leproso chegou perto de Jesus e, de joelhos, pediu:
“Se queres, tens o poder de curar-me”.
Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele e disse:
“Eu quero; fica curado!”
No mesmo instante, a lepra desapareceu e ele ficou curado. Então Jesus o mandou logo embora, falando com firmeza:
“Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!”
Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato.
Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade; ficava fora, em lugares desertos.
E de toda parte vinham procurá-lo.”
 
A verdade é que, com os prodígios, Jesus se tornou rapidamente conhecido e, por conseqüência, solicitado. Um aglomerado de povo, logo nos primórdios, não seria conveniente, até porque lhe roubaria muito tempo.
 
Precisava ir a outros lugares.
Mais tarde, sim, depois de atendimentos particulares aqui e ali, foi inevitável reunir multidões e lhes falar a todos de uma vez.
 
Por isso, recomendara ao leproso curado, que fizesse segredo. No que ele, radiante e alegre, não obedeceu. Saiu a contar a quantos via.
 
Importante salientar o critério e respeito de Jesus às leis e costumes. Exortou o leproso a procurar o sacerdote e que este ratificasse sua cura, exatamente como mandava a lei de Moisés.
 
Aos poucos, sabe-se, de fato Jesus trouxe leis novas, sem jamais exprobar e recriminar os ditames do Testamento Velho. E foram poucas alterações, válidas e próprias para os rigores de antanho, já agora inaplicáveis.
 
Vigorava a Lei do Olho por Olho, Dente por Dente, substituída por Jesus pela Lei do Amor.
 
Outros tempos. Novos tempos.
 
João Paulo
Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

20 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio