Colunistas

Publicado: Sábado, 12 de agosto de 2017

A quem confia, até a água é terra firme

REFLEXÃO DOMINICAL – 13.08.2017

19º. do Tempo Comum – Ano “A” de Mateus

Evangelho (Mt. 14, 22-33)

...............................................................................................................................

“”    Depois da multiplicação dos pães, Jesus mandou que os discípulos entrassem na barca e seguissem, à sua frente, para o outro lado do mar, enquanto ele despediria  as multidões.

Depois de despedi-las, Jesus subiu ao monte, para orar a sós. A noite chegou, e Jesus continuava li sozinho.

A barca, porém, já longe da terra, era agitada pelas ondas, pois o vento era contrário.

Pelas três horas da manhã, Jesus veio até os discípulos, andando sobre o mar.

Quando os discípulos o avistaram andando sobre o mar, ficaram apavorados e disseram:

“É um fantasma”.

E gritaram de medo .

Jesus, porém, logo lhes disse:

“Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!”

Então Pedro lhe disse:

“Senhor, se és tu, manda-me ir ao teu encontro, caminhando sobre a água”.

E Jesus respondeu:

“”Vem”.

Pedro desceu da barca e começou a andar sobre a água, em direção a Jesus. Mas,  quando sentiu o vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou:

 “Senhor, salva-me!”

Jesus logo estendeu as mãos, segurou Pedro e lhe disse:

“Homem fraco na fé, porque duvidaste?”

Assim que subiram no barco, o vento se acalmou.

Os que estavam no barco prostraram-se diante dele, dizendo:

“Verdadeiramente, tu és o Filho de Deus!”

 

Podemos todos andar, ir, comer, voltar, descansar, correr, pensar, - de todos os modos Jesus estará por perto da gente.

Se porventura a alguém ocorre de sentir-se desamparado e só, pode crer que terá chegado ao máximo do distanciamento de uma espiritualidade consciente.

Faltem os semelhantes, amigos e os nem tanto, sinta-se perdido a ponto de ser acometido por aflição. E, a esse ponto, pare de uma vez.

Recomponha-se.

Aí, então, humildemente, procure pensar com mais calma e confiança e verá que há um arrimo a quem se agarrar: Jesus!

Nunca longe estivera o Mestre.

Terá faltado, talvez, maior atenção e confiança nele.

                                                                                                João Paulo

 

.

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo