Colunistas

Publicado: Sábado, 1 de julho de 2017

A Má Vontade do Ateu

Crédito: Internet A Má Vontade do Ateu
Para quem está com má vontade, nenhum argumento vale.

Nem sempre um ateu é convicto por ignorância ou covardia. Às vezes é questão de pura má vontade mesmo. Para este não há argumento que sirva, experiência mística que baste ou itinerário espiritual válido. Ele chega ao cúmulo de negar a realidade das coisas se for conveniente. É capaz de distorcer a realidade por capricho, só para satisfazer sua teimosa e convicção.

Há boa vontade com muçulmanos, espíritas, hindus, budistas, etc. Para os cristãos a má vontade é regra, o cardápio principal do dia. Invocam-se meia dúzia de fatos obscuros, infelizmente cometidos por maus cristãos em séculos empoeiradíssimos, como argumento para invalidar toda e qualquer boa obra cristã na face da Terra.

Os que dizem abominar a "intolerância religiosa" não se cansam de ser intolerantes com os seguidores de Jesus Cristo. Se quisesse mesmo ser honesto o ateu teria má vontade contra todas as religiões. Mas ele é especialmente seletivo na hora de dirigir arbitrariamente o seu mau querer.

Para quem tem boa vontade, meia palavra basta e chega-se a um entendimento. Para quem tem má vontade uma biblioteca inteira não serve. Assim, não há diálogo que dê fruto. Eis a triste realidade dos poucos ateus no mundo: negam a Deus por ignorância, covardia ou má vontade. É raríssimo e digno de nota encontrar um ateu com boa vontade, realmente tolerante, respeitoso e em paz. Felizmente estes também existem e tenho o privilégio de conhecer alguns.

O ateísmo tem solução. Diariamente inúmeras pessoas despertam para a realidade da vida em Deus. Cada uma chega até Ele de modo único. Às vezes podemos ajudar alguém nesse sentido, outras vezes nada podemos fazer. É Deus quem chama seus filhos e nós apenas podemos ser meros coadjuvantes.

Aos ateus de má vontade fica o desafio, que não é para muitos: abandonar a teimosia, fazer uma honesta incursão nas realidades espirituais existentes no mundo e caminhar ao lado de pessoas que realmente vivem a fé. Somente depois poderão tirar conclusões reais e sair do "achismo" convencional. Duvido que não encontrem Deus em algum caminho mas é justamente esse encontro com o divino que o ateu deseja evitar a qualquer custo.

Não é justo tratar um ateu como caso perdido. O mundo dá voltas. Deus sabe os planos que tem para cada um de nós. Continuemos, portanto, orando esperançosa e fervorosamente pela conversão dos ateus. Que Deus nos ajude.

Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista e professor, iniciou sua carreira em 1996. É colunista do Itu.com.br desde 2005 e membro da Academia Ituana de Letras desde 2011. É seminarista na Diocese de Jundiaí, atualmente cursando Teologia.

Arquivo