Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 25 de dezembro de 2006

A graça secreta

A graça secreta
De quantas coisas necessitamos na vida, em todos os seus aspectos? Certamente, de muitas. Algumas de muita importância, outras nem tanto. O fato é que somos impelidos a sempre necessitar de algo, seja material ou espiritualmente falando. Em muitas ocasiões clamamos a Deus que nos preencha essas necessidades. Voltamos nossas orações ao Pai no sentido de pedir algumas graças. Há quem peça somente para si. Há quem peça somente para os outros. Há quem faça o meio-termo, pedindo para si e não se esquecendo do próximo.
 
Infelizmente, muitos enxergam a religião como um balcão de pedidos. Pensam que ter fé seja possuir um canal para fazer pedidos a Deus e nada mais. Ingenuamente, pedem as coisas mais absurdas e esperam ser atendidos prontamente. Não entendem que, mesmo antes de pedirmos algo, o Senhor já sabe das nossas necessidades e se preocupa em nos dar o que for preciso no momento mais oportuno.
 
Então é errado fazer pedidos a Deus? Não, contanto que os façamos da maneira certa. O próprio Cristo pedia coisas a seu Pai, como podemos ver em vários trechos em que a Bíblia nos mostra o Nazareno rezando. Contanto, em uma das passagens bíblicas, Jesus nos explica porque tantos dos nossos pedidos acabam não se realizando. Não é Deus que deixa de escutar nossos clamores ou ver nossas angústias. Nós é que não sabemos pedir.
 
Dando início a mais um ano, uma certa retrospectiva passa em nossas mentes. Lembramos de tudo o que aconteceu e fazemos um balanço pessoal. No que precisamos mudar? Que atitudes devemos tomar daqui para a frente? Qual nosso objetivo de vida, quais as metas a atingir? De quais graças realmente necessitamos para alcançar aquilo para o que realmente estamos nos esforçando, que é a nossa felicidade?
 
Nas minhas orações diárias, também faço os meus pedidos a Deus. Tento concentrar-me naquilo que é realmente importante para a minha caminhada. Já aprendi que não se pede certas coisas, como dinheiro ou qualquer bem material. Tudo isso é supérfluo aos olhos divinos. Jesus nos ensinou a não nos apegar aos bens terrenos e nem a nos desesperarmos com a subsistência. Deus que é Pai sempre dará condições para honrarmos as contas no final do mês. O Senhor está sempre preocupado com o nosso bem-estar.
 
Meus pedidos se referem ao que não posso comprar. São coisas que só posso ter por graça de Deus e nada mais. Peço pela minha conversão pessoal, pela minha paz interior, pela minha tranqüilidade de consciência, pelo fortalecimento da minha fé (sobretudo nas provações diárias). Peço também por todos os que me cercam, cada um com seus dramas pessoais mais ou menos momentâneos. Nessa hora os pedidos se transformam em ação de graças, pois agradeço ao Senhor por todos os que fazem parte da minha vida.
 
Entre tantos pedidos, aprendi a deixar um espaço reservado para a “graça secreta”. O que é isso? Não sei responder. Por isso mesmo ela é “secreta”. É algo que pode acontecer na minha vida e que eu nunca conseguirei imaginar, porque faz parte somente do pensamento de Deus. É alguma surpresa que o Senhor tem para mim em seus planos e da qual só tomarei conhecimento no momento em que Ele achar mais oportuno. Ter fé é saber deixar espaço para que o Criador possa agir livremente em nossas vidas. É confiar que, seja lá quando, seja lá o quê, seja lá como, o Senhor está providenciando sempre o que for melhor para cada um de nós.
 
Que neste próximo ano você possa aprender a pedir. Que a maioria dos seus pedidos possa ser atendida por Deus. E que entre tantas bênçãos divinas, o Senhor possa conceder-lhe também a “graça secreta” que tanto bem irá fazer para a sua vida!
 
Amém!
Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo