Colunistas

Publicado: Terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A Gastronomia no dia a dia

A Gastronomia no dia a dia
Comida de presente

Hoje recebi uma dessas lembranças do Facebook que me levou a reler um texto publicado no Blog da Gavioli há dois anos. Quando bati os olhos no conteúdo me veio uma reflexão sobre como as pessoas veem a gastronomia na vida delas.

Minha impressão, em especial diante do "raio gourmetizador" que assola o país (e quiçá o mundo) visivel nos infindáveis programas de TV sobre culinária e competições gastronômicas, nos blogs, sites, youtubes, instagrans e também nos food trucks, nas feiras de alimentação etc. , é que o cidadão comum ainda acha que gastronomia não é pra ele. É pra televisão, pro restaurante e pra esse povo meio descolado que anda por aí inventando moda.

Só que não! 

A gastronomia não é só modismo e a gente tem como pegar as ideias que essa onda toda vêm trazendo e tirar proveito. É aí que entra a repetição do conteúdo do texto de dois anos atrás que as memórias do Facebook me trouxe hoje.   

 
Em 2015, resolvi que todos os presentes que daria aos meus amigos em ocasiões especiais como aniversários, visitas e comemorações seriam feitos por mim. Um jeito de demonstrar o meu afeto por eles  seria dedicando um pouco do meu tempo para produzir algo e presentear os que amo. 
 
Como gosto de cozinhar, alguns presentes foram vidrinhos ou saquinhos com guloseimas ou iguarias. 
 
O que pode parecer uma decisão meramente econômica não é na verdade. Até porque tudo depende de quanto custa o seu tempo e o que você realmente pretende fazer com ele. Quando você resolve presentear alguém com algo feito à mão, tem que se preocupar com a embalagem, com os ingredientes, com o frescor e as combinação dos elementos que com vão compor o mimo. 
 
É aí que pode começar a entrar a gastronomia na vida das pessoas de um jeito bem claro, mas bastante espontâneo. Por exemplo: preparar um trio composto por sardela, pesto e tapenade de azeitona, colocar nos vidros, embrulhá-los em papel de seda e dar um laço, é super fácil de fazer. E é Gastronomia! 
 
Só para estimular, que tal conhecer a receita da tapenade? Quem sabe você também se inspira e entra na onda de presentear com comidinhas... É um jeito de amar. 
 
Tapenade um prato típico provençal composto por uma mistura de azeitona (preferencialmente preta), com alcaparra, anchova, tudo picado em pequenos pedaços ou mesmo macerado e misturados com azeite de oliva. É um prato típico do sul da França, região da Provance, normalmente servido como entrada para ser comido juntamente com pedaços de pão ou torradas, podendo também ser utilizado como tempero. Seu sabor típico fez com que rapidamente ficasse conhecido e fosse apreciado em todos os continentes
 
 
Tapenade de azeitonas pretas
 
Ingredientes
 
2 xícaras (chá) de azeitonas pretas grandes sem caroço
2 colheres (sopa) de alcaparras
1/2 xícara (chá) de azeite de oliva
2 filés de anchova
1 colher (chá) de tomilho
sal e pimenta do reino a gosto
 
Modo de fazer
 
Leve todos os ingredientes, exceto o azeite, ao processador. Processe por cerca de 1 minuto, mas não deixe que se torne uma pasta. A textura da tapenade é de pedacinhos muito miúdos, não de creme. 
Retire do processador e já na travessa ou vidro onde vai servir acrescente o azeite de oliva extravirgem. 
 
Rendimento: 250 gramas de antepasto
 
Usos: A tapenade pode ser usada como antepasto para comer com torradas ou pães, serve para finalizar receitas de pasta de bacalhau, para finalizar bruschettas, para acompanhar piadinas ou bolos salgados em entradas. 
 
 
Quer também a receita do molho pesto? Vamos a ela. Eu faço de manjericão, mas as variações podem ser muitas. 
 
 
Molho Pesto
 
Ingredientes
 
1 maço de manjericão
1/2 xícara (chá) de azeite extra virgem
4 dentes de alho picados
100 gramas de queijo parmesão ralado
5 pinholes turcos (pode-se substituir por uma noz, uma castanha do pará, 3 amêndoas)
Sal e pimenta do reino a gosto
 
Modo de fazer
 
Lave o manjericão e separe para uso somente as folhas. Seque bem e leve ao liquidificador com o azeite e o alho. Bata até que fique tudo bem triturado. Acrescente o queijo ralado e os pinholes. Tempere com sal e pimenta do reino. 

Usos: O molho pesto é usado frio na massa quente. Não é preciso aquecê-lo. Uma receita como essa rende mais ou menos um vidro de 160 ml de pesto.  Dá para temperar mais de um quilo  de massa como macarrão ou nhoque.  Também pode ser usado como tempero de saladas, para finalizar um prato com ovos pochê ou cogumelos. 
 
Versátil, o pesto é um moho de sabor acentuado por causa do manjericão e do alho que são consumidos crus. Por isso, rende muito. Só um pouquinho já dá muito sabor. 
 
 
Uma delícia! Além do que é uma iguaria das mais refinadas e uma ótima opção de presente feita por você! 
 
Noutra ocasião, falo da sardela. Promessa! 
 
Se tiver pressa, é só escrever um comentário, deixar seu e-mail e eu mando a receita carinhosamente. 
 
Acho que começou a clarear a ideia de que a gastronomia faz parte do nosso dia a dia, não? 
 
Ate mais, um grande e caloroso abraço! 
Comentários

Gastronomia & Hospitalidade

Maria Cláudia Gavioli

Maria Cláudia Gavioli

Jornalista, chef de cozinha e blogueira de gastronomia & hospitalidade (www.blogdagavioli.com.br). Ituana, vive em São Paulo há 25 anos, adora viajar, comer, ler e encontrar pessoas.

Arquivo

9 de janeiro de 2018

Refresque-se com sopa

23 de setembro de 2017

Festa da comunidade, doces e mais

28 de agosto de 2017

Goulash - Comida Húngara

10 de agosto de 2017

Pão Nosso

20 de junho de 2017

De malas prontas

Ariza Centro Veterinrio