Colunistas

Publicado: Sábado, 21 de outubro de 2017

A Deus o que é de Deus

 

29º. DOMINGO DO TEMPO COMUM

22.10.2017 – Ano “A” de Mateus – Cor: verde

(Evangelho: Mt. 22, 15-21)

 

*

“”    Naquele tempo, os fariseus fizeram um plano para apanhar Jesus em alguma palavra. Então mandaram os seus discípulos, junto com alguns do partido de Herodes, para dizerem a Jesus:

“Mestre, sabemos que és verdadeiro e, de fato, ensinas o caminho de Deus. mensagens s. Não te deixas influenciar pela opinião dos outros, pois não julgas um homem pelas aparências. Dize-nos, pois, o que pensas é lícito ou não pagar imposto a César?”

Jesus percebeu a maldade deles e disse:

“Hipócritas! Porque me preparais uma armadilha. Mostrai-me a moeda do imposto!”

Levaram-lhe então a moeda.

E Jesus disse: “De quem é a figura  a inscrição desta moeda?”

Eles responderam: “De Cesar”.

Jesus então lhes disse:

“Dai, pois, a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus”.

 

*

 

Nota-se uma continuidade e semelhança no contexto dos evangelhos das últimas semanas. Hoje, por exemplo, repetição direta do da semana passada. Tudo a girar em torno de assédio dos fariseus e servidores do templo, a exibir uma crença e religião somente de fachada. E, incansavelmente, numa tentativa de prender Jesus em alguma contradição.

Jesus rebateu uma a uma todas essas investidas.

Até que os mal intencionados e religiosos somente de aparência, mas de alma enegrecida, receberam mais uma lição.

Jesus lhes mostra a moeda com efígie de Cesar e lhes pergunta de quem seria aquele dinheiro. Diante da resposta óbvia deles, de que a inscrição era de Cesar, Jesus preconiza com uma resposta lapidar e utilizada até hoje, a de que se dê a Cesar o que dele é. A Cesar o que é de Cesar.

Jesus delimitou com precisão o plano espiritual da vida em relação a pessoas e governos, quais sejam, em todo lugar e em todas as épocas, hoje inclusive.

A sacralidade na religião católica é bem e insofismavelmente delimitada.

Deus, Jesus, a Trindade, por primeiro e acima de tudo.

Debalde,  até em tempos de hoje, investidas contra a religião católica, caem por si.

Perdem-se nesse campo os mal intencionados, seguidores de falsos profetas, que se encontram em cada esquina. Seus mentores repetem em verdade exatamente a conduta dos sacerdotes e anciãos do povo, aqui tantas vezes protagonistas de vãs tentativas de confundir a mensagem ilibada de Jesus.

                                                                                          

                                                                                                                                                                                    João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio