Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 12 de outubro de 2018

12, sol alto e claro

Hoje, dia 12 de Outubro, neste 2018 apressado mais do que qualquer outro ano, dos mais recentes e de que se possa lembrar. Seria também de se repetir o óbvio e usual na voz do povo: o tempo voa.

Precedida a data especial e significativa, de dias chuvosos e impertinentes a gerar tédio e melancolia, esta quinta feira amanheceu radiosa, de sol forte e quase abrasador.

Se água vier, somente à noite.

Presente da natureza a todos os brasileiros (ao menos aos daqui de Itu, afinal a Roma Brasileira), para que se outorgue comemoração condigna à Padroeira do Brasil.

Nossa Senhora Aparecida.

O amor e zelo da mãe celeste, ela se fez achada num aparente acaso, por humildes pescadores. Evidente carinho que somente os céus explicariam, da Virgem Mãe de Jesus, nomeada pelo seu divino Filho, mãe por extensão de todos, homens e mulheres.

Outrora, neste preciso instante em que o dia vai exatamente ao meio, espocavam rojões por longo tempo, a demonstrar o afeto de seus filhos. Medidas de segurança puseram cobro a tal costume, antes intensamente participado pela gente ituana.

Festa por excelência e arraigada entre as tradições locais, acontece na Paróquia local que venera como padroeira, exatamente Nossa Senhora Aparecida.

Neste breve relato, pela coincidência dos acontecimentos – campanha política no segundo turno das presentes eleições, - o melhor a se fazer é depositar toda confiança e fé do povo brasileiro, nessa mãe por excelência.

Verdade.

Os nascidos neste quase Continente pelas suas dimensões, são contrariamente desfavorecido de longa data. Perderam-se todos os hábitos da decência e, concomitantemente, de compatibilização honesta com o progresso, justamente então o inverso de bons tempos vividos outrora. Um Brasil desencontrado, nas mãos de perversos a mais não poder.

Seja outubro de 2018 o marco divisório da penumbra cívica para um porvir sereno, justo e igual a todos.

Advenham do azulado céu brasileiro as dádivas do Criador.

Todo louvor à Virgem Aparecida.

 

Comentários

Minudências

Bernardo Campos

Bernardo Campos

Jornalista e advogado. Alma de cronista, colhe impressões das pessoas, dos fatos e dos costumes. Daqui e do mundo.

Arquivo

14 dias atrás

Mexer na ferida

25 dias atrás

Denodo, paz e equilíbrio

12 de outubro de 2018

12, sol alto e claro

8 de outubro de 2018

Mais do que hora ...

2 de outubro de 2018

Pobre Brasil