Animais

Publicado: Sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Microchip: segurança e modernidade na identificação de animais

Entenda como funciona o serviço e quais seus benefícios!

Microchip: segurança e modernidade na identificação de animais

Por Jéssica Ferrari,

Os constantes casos de desaparecimento de animais de estimação por diversos motivos, como a fuga e o roubo, preocupam quem possui um pet em casa. Apesar do grande auxílio que as mídias sociais promovem hoje em dia, muitas vezes o reencontro não acontece e as histórias não terminam com final feliz. Para facilitar a identificação de seus bichinhos, muitas pessoas apostam em coleiras com plaquinhas, no entanto elas podem ser removidas ou se soltar e cair, perdendo sua utilidade. Por isso, um serviço moderno, prático e mais seguro está conquistando cada vez mais os clientes nas clínicas veterinárias: a microchipagem.

O termo pode até soar invasivo e assustar alguns donos, mas na verdade o método é uma tecnologia que não faz mal algum aos animais e permite solucionar muitos casos de desaparecimento e abandono. Sua eficácia é reconhecida em vários países e cidades brasileiras, onde sua implantação é obrigatória. Para embarcar para os EUA, por exemplo, é preciso que o bichinho possua o dispositivo para passar pela quarentena da vigilância sanitária. Muitos criadores também usam microchips para assegurar a origem da raça, impedindo falsificações de pedigree ou ainda para manter um histórico de saúde dos animais.

Como uma impressão digital, o microchip garante uma identificação única do seu animal, através de um número de cadastro. Para descobrir a origem do pet é preciso levá-lo até uma instituição veterinária que possua o aparelho de leitura. Ele irá então escanear o microchip e acessar todas as informações.

Para esclarecer as principais dúvidas sobre este serviço, entrevistei a médica veterinária e proprietária do Ariza Centro Veterinário, Daniela Campana Ariza. Confira: 

Itu.com.br - Qualquer tipo de animal pode receber o microchip?

Dra. Daniela - Sim, atualmente qualquer tipo de animal, de raça ou não, pode receber o microchip. Além dos cães e gatos, estamos vendo com muita frequência em equinos e animais silvestres. Também pode ser implantado em mini porcos e aves, por exemplo. 

Itu.com.br - Quais as vantagens do microchip? Por que optar por este serviço?

Dra. Daniela - O microchip garante uma resposta muito boa em relação a organização do histórico animal e de encontrar os proprietários. Mas é preciso entender que ele não é um GPS. A sua vantagem está em localizar a origem do bichinho, mesmo ele estando muito longe de casa e não rastreá-lo. Para acessar o banco de dados tem que levar o animal até o veterinário. Como os leitores são universais, não importa a marca do microchip, pois qualquer um poderá então ser escaneado de qualquer lugar.   

Itu.com.br - Existe uma idade mínima para que o animal possa receber o microchip?

Dra. Daniela - Aqui na clínica nós microchipamos o animal a partir da primeira vacina, com 45 dias. Mas não tem contraindicação. O importante é ele ser cadastrado com os dados do proprietário final, para garantir a eficácia do método.   

Itu.com.br - É preciso realizar exames antes da instalação? Quais? 

Dra. Daniela - Não é preciso fazer nenhum exame antes. O animal pode estar convalescente de alguma doença, pode vir internado por alguma patologia ou ter sido encontrado na rua abandonado, que mesmo assim pode receber o microchip. Pois a implantação não tem nenhum efeito colateral.  

Itu.com.br -  A instalação é um procedimento seguro? Como ela funciona?

Dra. Daniela - O microchip é do tamanho de um grão de arroz. A implantação é apenas uma agulhada na região dorsal do animal. Ela poderia ser em outro lugar do corpo, mas para padronizar e facilitar que o veterinário encontre o microchip, ela é feita no dorso. Se eu falar que é sem dor vou estar mentindo, porque é uma picadinha um pouco mais dolorida que uma vacina, pois a agulha também é um pouco mais calibrosa para caber o microchip. Em todos os animais que nós já microchipamos, eu nunca vi uma reação cutânea. O material é importado e seguro.

Itu.com.br - O microchip tem validade? Ele precisa de manutenção ou ser trocado?

Dra. Daniela - Não, ele não tem validade, nem precisa ser trocado ou ter manutenção. Após o registro é preciso apenas que os proprietários se lembrem de manter os dados sempre atualizados. Então se mudou de endereço ou doou o pet, tem que entrar no site e alterar as informações.  

Comentários

Sorteios