ponto-turístico-estradaparque

Conheça um criatório de pássaros em Itu

Publicado: Quarta-feira, 16 de junho de 2010 por Deborah Dubner

O Criatório Quinto Dia busca preservar pássaros nativos

por Deborah Dubner

A equipe do Itu.com.br conheceu um criatório de pássaros em Itu, mostrando mais uma vez que nossa cidade tem muitas pessoas que amam a natureza e se preocupam em preservar as diferentes formas de vida na terra.
 
A ideia do Criatório Quinto Dia (... e no quinto dia Deus criou as aves do céu) é preservar pássaros nativos do Brasil que foram ou estão sendo exterminados pela caça predatória, tráfico de animais, multiplicação de lavouras e uso de agrotóxicos. Através da reprodução em ambiente doméstico, é possível salvá-los da extinção.
 
O projeto teve início no ano de 2000, no Rio de Janeiro, com o interesse de Rafael Cardoso dos Santos, colunista do itu.com.br, pelos pássaros. Desde essa época, ele e sua esposa, Ana Líbia Schumacher de Araújo dos Santos, começaram a estudar e aprender o manejo de alguns pássaros, adquirindo várias espécies, viajando pelo Brasil, visitando criadores e lendo livros e sites especializados. Em 2003, foi necessário paralisar o projeto, quando o casal se mudou do RJ para Itu. Mas durante todo esse tempo, a dupla formou um plantel considerável. Seus bicudos são frutos de mais de 8 anos de estudo e dedicação. E hoje, Rafael garante: “Na região, poucos ou nenhum criador tem genética melhor para Torneios de Fibra”. Em função do seu interesse e presença no meio dos criadores, atualmente, Rafael é diretor de informática da Cobrap, Confederação Brasileira dos Criadores de Pássaros Nativos.
 
Preservação
 
Afinal, o que significa exatamente preservar? Esta é uma questão polêmica, que gera muitas opiniões. No caso de Rafael, sua posição é muito clara: “O objetivo maior do nosso criatório é mostrar que é possível ter pássaros como animais de estimação sem agredir o meio ambiente. Algumas ONGs fanáticas fazem um enorme barulho falando mal de quem cria pássaros em gaiolas. Na realidade nossa luta é a mesma. E é contra quem pega o passarinho na natureza, contra o traficante de animais. O criador ajuda na preservação.

Hoje o bicudo está extinto em vários estados brasileiros, mas graças à criação doméstica de alta qualidade, este pássaro maravilhoso (A Ferrari dos passarinhos) está a salvo da extinção.”, explica Rafael, orgulhoso de sua atuação.

Segundo Rafael, uma forma de ajudar na preservação é não comprar aves ilegais. “Qualquer animal sem comprovação de origem é um risco para seu dono, não só pelo crime ambiental, mas também pela saúde”, alerta. Ele comenta que uma das maiores dificuldades que enfrenta com relação ao seu criatório é o preconceito. “Muitas pessoas marginalizam quem anda na rua com gaiolas na mão. Mas acham normal andar com um cachorro. O passarinho pode interagir com seu dono tanto quanto um cachorro”, afirma. “Nós treinamos pequenas aves exóticas para serem criadas como PET. Elas ficam soltas em casa e em interação total com a família.”, conta o criador de pássaros.

Outro problema enfrentado é relacionado à burocracia que rege a atividade dos criadores. De acordo com Rafael, isso faz com que vários criadores desistam por causa da burocracia e fiquem à marginalidade. “O IBAMA tem boa intenção, mas poucos funcionários”, afirma. “Unindo estes problemas à falta de veterinários especializados em pequenas aves, ficamos com um enorme desafio nas mãos. Mas vamos à luta!”, convida.

Vale ressaltar que, apesar das dificuldades, o Quinto Dia reproduz bicudos com autorização do IBAMA.
 
Inovação
 
Os investimentos no criatório Quinto Dia têm sido constantes. As instalações foram ampliadas para receber novos "moradores" e dar mais espaço aos muitos filhotes machos que estão nascendo.
 
Através de uma iniciativa inovadora na região, o Criatório busca reproduzir espécies ameaçadas de extinção e que não costumam ser criadas em ambiente doméstico. Estas espécies são:
 
Pichochó - Sporophila Frontalis – por enquanto, há apenas um filhote desta espécie na temporada atual, que está sendo criada por uma bicuda, pois a mãe abandonou os ovos. Além disso, há 2 casais deste passarinho maravilhoso.
 
Cigarra Verdadeira - Sporophila Falcirostris – Um casal está sendo formado e ainda precisa de uma fêmea. Esta espécie é extremamente difícil de se encontrar devidamente legalizada e, portanto, poucos criadores se dedicam a estes bichinhos.
 
“Também pretendemos iniciar a criação do Trinca Ferro (Saltator Similis), um pássaro muito apreciado em nossa região, mas muito pouco reproduzido”, afirma Rafael.
 
Nos BICUDOS, a grande evolução é que este ano há filhotes com diferentes idades. Destaque para o casal com o exame de DNA: Toró (M) e Oliveira(F).
 
Legalidade
 
É importante salientar que todos os pássaros do criatório nasceram em ambiente doméstico. Nenhum deles foi capturado da natureza.
 
Esta atividade é regulada pelo IBAMA, que pela constituição nacional deveria incentivar atividades de preservação do meio ambiente. “A criação ajuda a combater o tráfico de animais. Porém este órgão a cada dia cria novas dificuldades. Atualmente cancelou a solicitação de mudança da categoria dos criatórios amadores para comerciais por 120 dias sem nenhuma justificativa aos criadores”, lamenta o criador amante de pássaros.
 
Conquistas

Apesar das dificuldades, Rafael mostra que vale a pena não desistir. Após 10 anos, são muitas as conquistas. “Hoje já temos em nosso Plantel, além o grande Gengis Khan, o Abalo Sísmico que deixou de ser uma promessa e agora já tem vários troféus em competições de fibra além de alguns filhotes", comemora Rafael.
 
Se você gosta de pássaros, vale a pena conhecer! Para mais informações, entre em contato pelo e-mail contato@quintodia.com.br ou pelo telefone (11) 4023-7026.
Deborah Dubner / www.itu.com.br
Os bicudos cantam para defender o seu território

Tags: pássaro, pássaros

Fotos

Ranking

Notícias mais lidas

  1. 1. Projeto Mucky participa de "Vakinha" para comprar carro utilitário

Período: últimos 7 dias